Cosme Rímoli Barcelona. O modelo que Muricy adotará no São Paulo

Barcelona. O modelo que Muricy adotará no São Paulo

Coordenador quer Diniz estável como técnico, ganhando ou perdendo. E integração com Cotia. Como é no La Masia, do Barcelona

  • Cosme Rímoli | Do R7

Muricy Ramalho vai tentar impor no São Paulo os principais conceitos do Barcelona

Muricy Ramalho vai tentar impor no São Paulo os principais conceitos do Barcelona

Reprodução/Instagram

São Paulo, Brasil

Muricy Ramalho fez uma promessa.

À sua esposa Roseli, em 2016.

Após se recuperar de uma séria fibrilação auricular, poderosa arritmia cardíaca, então no Flamengo: não trabalharia mais como técnico e 'aproveitaria' a família.

Foram 23 anos estressantes como um dos principais treinadores do Brasil. 

Diverticulite, inflamação do intestino grosso; retirada de vesícula; intervenção cirúrgica para retidada de pedras nos rins, por falta de hidratação; hérnia de disco; pressão alta; e, finalmente, a arritmia cardíaca.

Impressionado com a isquemia cerebral de Telê Santana e do derrame de Ricardo Gomes, Muricy prometeu à esposa que não trabalharia mais como técnico.

Cumpriu sua palavra. Mas, com saudades do futebol, aceitou ser comentarista da TV Globo, com foco no Sportv.

Mas, desde que decidiu concorrer à presidência do São Paulo, Julio Casares havia decidido ter Muricy como coordenador de futebol. Foram cerca de dois anos convencendo Muricy a voltar a trabalhar com futebol.

Ele fará, em novembro, 66 anos.

É avô.

Tem a vida financeira resolvida.

Mas queria deixar um legado no São Paulo.

A perfeita integração entre a base e o time profissional.

Acabar com o improviso.

Luiz Araújo era peça fundamental para Ceni. O inseguro Leco o vendeu, sabotando o time

Luiz Araújo era peça fundamental para Ceni. O inseguro Leco o vendeu, sabotando o time

Marcello Zambrana/AGIF

Em outubro de 2015, ele passou 12 dias fazendo estágio no Barcelona. Esses dias mudaram sua visão de futebol. Desde então entendeu como funciona da integração completa do futebol em um grande clube.

"O que me interessou muito foi ver as categorias de base. Vi jogos da base. Queria saber como era, treinos. Mas o que mais impressionou foi a organização. Time muito organizado. Todos são profissionais, e isso faz uma diferença muito grande. Muito diferente do Brasil. Mentalmente, a cultura, a educação. Eles passam toda a responsabilidade para o jogador. O jogador tem que ser profissional aqui. A maior diferença é a mentalidade. Aqui são muito mais profissionais que a gente", disse, há seis anos.

Com trabalho realmente integrado. Desde a estrutura tática dos times de base, seguindo o caminho do principal, até o trabalho psicológico, nutricional.

Planejamento para utilização, valorização e venda.

Tudo muito estudado.

A importância fundamental da filosofia do treinador principal, que influenciará todo o futebol do clube.

Com a promessa de Casares de que ele não cederá à pressão pela demissão fácil do técnico.

Daí a importância da sintonia entre Muricy e Fernando Diniz, que considera um dos mais promissores técnicos do país. Ao lado de Rogério Ceni.

Muricy assinou contrato de três anos.

O sonho do coordenador é que Diniz fique este período todo.

Muricy, muito observador, também compreendeu melhor como deve ser o relacionamento do clube com a imprensa. Da importância de Diniz expor suas ideias. Dos jogadores também se posicionarem. Do São Paulo se assumir como um dos gigantes do Brasil. Nas horas boas e horas ruins.

Sonho de Muricy Ramalho é ficar os próximos três anos com Diniz como técnico

Sonho de Muricy Ramalho é ficar os próximos três anos com Diniz como técnico

São Paulo

Nos últimos oito anos de fracassos, sem título, principalmente nos terríveis cinco anos sob o comando do inseguro Leco, o clube se encolheu, se fechou diante das cobranças. 

E, principalmente, trocou de treinadores.

Doriva, Milton Cruz, Bauza, Jardine, Ricardo Gomes, Pintado, Rogério Ceni, Dorival Júnior, André Jardine, Diego Aguirre, Vagner Mancini comandaram o time sob a presidência do inseguro Leco, até Fernando Diniz assumir.

A insegurança do executivo Raí não foi despercebida.

Por isso não continuará.

Seu gerente, André Pássaro acabou sumariamente demitido. 

As decisões foram de Casares, com a anuência de Muricy.

Muricy está empolgadíssmo com o trabalho.

Vê um caminho para impor no CT de Cotia, onde fica os atletas da base, os principais conceitos de La Masia, legendário CT dos garotos do Barcelona.

A integração começará o mais rápido possível.

Muricy promete trabalhar o máximo que puder.

Mas sob dois olhares atentos.

O primeiro de Casares, disposto a fazer o que ele pedir.

E de Roseli Ramalho.

Muricy pode dar a alma para o São Paulo.

Muricy incluiu cláusula no contrato. Não voltará a ser técnico de 'jeito nenhum'

Muricy incluiu cláusula no contrato. Não voltará a ser técnico de 'jeito nenhum'

São Paulo

Menos sua saúde.

Por isso, a cláusula exigida.

O coordenador não assumirá como técnico.

De jeito algum, nos três anos de contrato.

Apesar de tetracampeão brasileiro.

Exigência de Roseli...

Curta a página do R7 Esportes no Facebook.

São Paulo levantou um troféu na última década. Veja lista completa

Últimas