Cosme Rímoli Arrombamento, intimidação contra juiz. São Paulo pode perder mandos

Arrombamento, intimidação contra juiz. São Paulo pode perder mandos

Foi grave o que aconteceu no Morumbi, sábado à noite. Porta da sala do VAR foi arrombada. Fora os palavrões dos dirigentes a Luiz Flávio, no túnel do vestiário. Clube pode perder mandos de jogo...

  • Cosme Rímoli | Do R7

Dirigentes do São Paulo revoltados pelo VAR anular pênalti e gol contra o Palmeiras

Dirigentes do São Paulo revoltados pelo VAR anular pênalti e gol contra o Palmeiras

Reprodução/ESPN

São Paulo, Brasil

"Fui informado pela equipe VAR, Sr. Péricles Bassols e Sr. Vitor Carmona, que, após o término da partida, foram até a sala do VAR, deram murros na porta por duas vezes."

"E arrombaram a mesma, quebrando a fechadura."

"Porém, não adentraram a sala e nem foi possível identificar o autor do fato."

A acusação do árbitro Luiz Flávio de Oliveira é séria, pesada. Aconteceu no sábado à noite, no Morumbi. E está na súmula que mandou para a CBF, após a partida entre São Paulo e Palmeiras.

A direção são-paulina está revoltada e se programou para ir hoje ao Rio de Janeiro, para protestar na CBF, contra a arbitragem de Luiz Flávio, inclusive não querendo que ele apite seus jogos, assim como pretende extender o veto a Péricles Bassols e, principalmente, Vitor Carmona, seu auxiliar.

Carmona já foi suspenso trabalhando como bandeira de Flávio Roberto Mineiro Ribeiro. A punição aconteceu por conta da partida entre São Paulo e Novorizontino. Aconteceram dois pênaltis para o clube da capital e eles não foram marcados.

A alegação da direção do São Paulo, desta vez, é que o time marcou um gol legal e não teve um pênalti confirmado pelo VAR, no clássico contra o Palmeiras.

Mas a acusação de que pessoas tiveram acesso à sala do VAR. E arrombaram a porta aos murros pode custar a perda de mando de jogos no Brasileiro por parte do São Paulo.

Além do fato de dirigentes terem xingado Luiz Flávio quando ele se encaminhava para o seu vestiário, após a partida. Eles ficaram no túnel, esperando o árbitro. E também no intervalo.

Eles estão citados, assim como seus palavrões. 

O diretor de futebol, Carlos Belmonte. "Vocês estão de palhaçada com a gente, cara...", teria dito no intervalo do jogo. "Safado, ladrão, vagabundo, vai tomar no ..., vocês roubaram a gente", falou após a partida.

Belmonte. Primeiro, palavrões contra Luiz Flávio. Depois, representação contra o juiz na CBF

Belmonte. Primeiro, palavrões contra Luiz Flávio. Depois, representação contra o juiz na CBF

São Paulo

Já o diretor adjunto de futebol, Fernando Bracalle Ambrogi, o xingou só após o jogo.

"Você tem que ser preso, pode relatar o meu nome aí, seu vagabundo."

O chefe da Comissão de Arbitragem da CBF, Leonardo Gabiba, garantiu que não toleraria intimidação a árbitros no Brasileiro. De jeito algum.

O arrombamento da porta da sala do VAR é de responsabilidade do São Paulo. A responsabilidade de proteger os árbitros de vídeo, como os de campo.

Belmonte após a partida atacou a arbitragem para a imprensa.

"Hoje (sábado), o árbitro da partida marca um pênalti a um metro de distância, de frente para o lance. Esse pênalti marcado pelo árbitro, obviamente, no campo, ele (árbitro) tem todas as sensações: o peso da mão do zagueiro nas costas do Marquinhos, a mão do zagueiro segurando o Marquinhos, e derrubando o Marquinhos, a bola distante do jogador do Palmeiras, e ele marca o pênalti corretamente, mas aí entra o VAR."

"O VAR, de repente, chama o árbitro. Numa sala fechada, sem o som, sem nada da partida e traz o que? A insegurança do árbitro. Aí o árbitro, não deveria ser assim, perde a convicção, vai ao VAR e anula o lance."

"Depois, no segundo tempo, em um cruzamento na área, um gol contra. Nenhum jogador do Palmeiras, sequer, faz menção de reclamação. Há uma lamentação, passava os 40 minutos do segundo tempo. Se dirigem ao meio-campo para dar a saída e, novamente, surge o VAR, com suas interpretações de futebol e com a câmera lenta, que é outra curiosidade do VAR no Brasil. O jogo não acontece em câmera lenta. O jogo acontece em uma velocidade única e essa velocidade deve ser respeitada pelo VAR."

"Nós vamos fazer uma representação à CBF. O VAR já foi utilizado sete vezes nesse campeonato em jogos do São Paulo, seis vezes contra o São Paulo. Uma grande coincidência, é verdade. Algumas acertadas, outras absurdas como as duas de hoje. Então vamos representar sim, porque não estamos nem um pouco contentes com a arbitragem nos jogos do São Paulo."

Além dos dirigentes, dos mandos, o Sâo Paulo poderá ter Rigoni suspenso. Luiz Flávio relatou sua ofensa, ao anular o gol de seu time. "Você é um ladrão", disse o jogador argentino ao árbitro.

O gol contra de Gustavo Gómez que o VAR anulou. Apontou impedimento de Miranda

O gol contra de Gustavo Gómez que o VAR anulou. Apontou impedimento de Miranda

Reprodução/Twitter

Ou seja, não haverá meio termo ao São Paulo.

Ou o clube, seus dirigentes e Rigoni são suspensos.

Ou Luiz Flávio, Bassols e Carmona serão vetados.

Não deixa de ser uma briga perigosa.

Os árbitros mundialmente costumam ser solidários...

Chilique após derrota e contra vacinação: as polêmicas de Djokovic

Últimas