A voracidade do Palmeiras. Quer a Libertadores e o Brasileiro

Dinheiro, política, patrocinador e Felipão. Os segredos para o sonho da dupla conquista. O Palmeiras vive uma das melhores fases de sua história

O Palmeiras está vivendo um dos melhores momentos de sua história

O Palmeiras está vivendo um dos melhores momentos de sua história

Agência Palmeiras

São Paulo, Brasil

No mesmo dia, três notícias importantíssimas para a vida do Palmeiras.

A primeira, a classificação do time para a semifinal da Libertadores da América, depois de 17 anos. O grande sonho de conquistar o torneio mais importante do continente, e depois brigar pelo Mundial de Clubes, está mais vivo do que nunca.

Veja mais: Palmeiras x Colo-Colo: torcedores do Verdão vaiam Valdivia

A segunda, a aquisição de Gustavo Scarpa. Depois de dez meses de disputas legais, o clube finalmente conseguiu um acordo definitivo com o Fluminense. E fechou a contratação definitiva de uma das grandes revelações do futebol brasileiro nos últimos anos. 

E a terceira, o lançamento oficial da candidatura de Mauricio Galiotte à reeleição, com o apoio escancarado de Leila Pereira, dona da Crefisa. De forma clara, para não haver dúvidas, ela diz que, se Galiotte não vencer, o Palmeiras perderá o maior patrocínio da América Latina. E ele é mais do que favorito contra Genaro Marino, seu vice presidente que decidiu ser seu opositor.

As três situações estão intrinsicamente ligadas.

O Palmeiras vive um dos seus momentos mais estáveis da história. Tendo como base a moderna arena de melhor localização no país e as centenas de milhões que a Crefisa deposita desde 2015, finalmente o clube conseguiu juntar a força no gramado com infraestrutura.

A troca da Adidas pela Puma não foi por acaso. Há um plano de internacionalização da marca Palmeiras que já está organizado e será colocado em prática a partir de 2019. A empresa alemã quer tornar o clube brasileiro o mais conhecido na Europa.

Veja mais: Borja se iguala na artilharia e ganha elogios de Luiz Felipe Scolari

Assim como a presença do jovem meia Daiju Sasaki, japonês emprestado pelo Vissel Kobe, não é por acaso. A intenção é aproximar de vez o clube do lado oriental do mundo. Contando até mesmo com a presença de Felipão, que tanto sucesso fez no futebol chinês, para ajudar a atrair investidores, novos parceiros.

Até mesmo a eterna briga com a construtora WTorre aferreceu. Por conta do dinheiro. Entre novembro de 2014 e junho de 2018, ambos já dividiram cerca de R$ 210 milhões. A empresa ganhou com as parcelas do naming rights, vendidos por R$ 300 milhões, em um período de 20 anos, à seguradora Allianz. Mais o faturamento de shows, aluguel de cadeiras, camarotes, locação do estádio. Já o Palmeiras desfrutou e desfruta da arrecadação dos jogos, conforme o trato antes do início das obras.

em 2018, o clube faturou R$ 58,229.314,00 com a bilheteria. Com a força do elenco e a caminhada vitoriosa, desde a chegada de Felição, encorajam os palmeirenses a cobrarem os ingressos mais caros de futebol do Brasil. Na Libertadores, por exemplo, a média é de R$ 93,00. Mas havia entradas a R$ 400,00.

São mais de R$ 140 milhões arrecadados em transmissão de seus jogos.

Felipão tem o domínio total do milionário elenco palmeirense. Fundamental

Felipão tem o domínio total do milionário elenco palmeirense. Fundamental

Palmeiras

Os sócios-torcedores seguem fonte de muito dinheiro. Já são mais de 130 mil, que deixam o clube como terceiro no país. Só que cobrando mais caro que o líder São Paulo e o segundo colocado Grêmio.

Nunca na história do Palmeiras houve tanta confiança que é possível o clube vencer a Libertadores e o Brasileiro ao mesmo tempo. Não só pelo elenco milionário e vasto, mas pela maneira com que Felipão o está administrando. Intercalando os jogadores nas duas competições.

Veja mais: Conheça mais sobre Borja, o artilheiro 'família' do Palmeiras

Mas deixando claro que precisa de reforços.

Ele insistiu com Galiotte e Alexandre Mattos que não desistissem, de maneira alguma, de Gustavo Scarpa. Por mais que houvesse a briga jurídica com o Fluminense. Depois de quase 300 dias de idas e vindas, ontem tudo se encerrou. A fantasiosa multa de R$ 200 milhões imposta pelo clube carioca saiu por R$ 7 milhões à vista, quando os dirigentes entenderam que a questão poderia levar anos.

Felipão vê talento diferenciado no meia esquerda. Mais participativo do que Lucas Lima, acredita que será fundamental ao time, quando se recuperar do trauma no calcanhar direito. A previsão é que isso aconteça ainda este mês. Fora a contusão, o lado psicológico  do jogador de 24 anos será outro. Já com a questão do Fluminense liquidada. E a certeza que começará a receber os R$ 27 milhões, correspondentes a seis milhões de euros.

Além disso, o clube já contratrou o meia Zé Rafael, do Bahia. E o atacante Arthur, do Ceará. Além de seguir de perto outros jogadores importantes como Miranda, da Inter de Milão, e Ricardo Goulart, do Guangzhou Evergrande, que ficou muito amigo de Felipão, na passagem do treinador pelo clube chinês.

Galiotte sabe que o Palmeiras precisa ter sempre estrelas importantes e novas para seguir atraindo bilheteria, nos próximos anos. 

Além disso, o clube já passou a pagar os R$ 120 milhões que a Crefisa colocou na contratação de jogadores. Situação imposta pela Receita Federal. O que deixa o clube ainda mais unido com a patrocinadora.

De maneira discreta, a Crefisa e o clube, prometem premiações mais do que especiais se os atletas conseguirem vencer a Libertadores e o Brasileiro. A motivação não poderia ser maior.

Veja mais: Valdívia não descarta retornar ao Palmeiras: 'Carinho enorme'

Felipão está centralizando toda essa expectativa.

E já ordenou aos jogadores para seguirem contidos, fechados.

Nada de declarações provocativas contra ninguém.

Concentração total já contra o São Paulo.

A primeira decisão do Brasileiro, neste sábado.

A concentração será antecipada.

E o foco total, sem empolgação.

Felipão conhece bem Diego Aguirre. 

Sabe que seus atletas darão a vida no Morumbi.

E é essa vibração que exigirá dos palmeirenses.

Felipão ainda terá o reforço de Scarpa nesta reta decisiva

Felipão ainda terá o reforço de Scarpa nesta reta decisiva

Agência Palmeiras

A seriedade na nova vitória contra o Colo Colo foi uma prova.

Felipe Melo e Deyverson estão tendo conversas individuais.

Os dois são considerados os mais explosivos do grupo.

E Scolari assumiu pessoalmente a responsabilidade sobre a dupla.

Pediu e a diretoria não puniu os dois por expulsões infantis.

Felipão tem o empolgado grupo na mão.

Galiotte e Leila assumiram o controle político do clube.

Veja mais: Por tabu do Palmeiras, Moisés relembra título do Brasileirão

A arena, a Crefisa, a transmissão pela tevê, os sócios-torcedores, as premiações, a bilheteria. Tudo se junta para levar dinheiro maior do que na época de ouro da Parmalat.

Ou seja, o Palmeiras está no seu auge.

Por isso, os resultados impressionantes no gramado.

E o sonho que parecia impossível está tão perto.

A conquista do Campeonato Brasileiro e Libertadores.

A única equipe que conseguiu esse feito foi o Santos.

Quando ganhou a Taça Brasil e a Libertadores.

Em 1962 e 1963.

Detalhe, o Santos jogou cinco partidas em 1962 para ficar com o título da Taça Brasil. 

E em 1963, precisou de apenas quatro jogos.

A CBF equipou a Taça Brasil ao Brasileiro.

Mas para ser campeão na atual fórmula são necessários 38 jogos.

Por isso é tão difícil...

Curta a página R7 Esportes no Facebook

Palmeirenses agredidas no metrô vão ao jogo da Copa Libertadores