Cosme Rímoli A estrela de Renato Gaúcho brilhou. O futebol do Flamengo foi péssimo

A estrela de Renato Gaúcho brilhou. O futebol do Flamengo foi péssimo

O clube carioca venceu, sem merecer, o Defensa y Justicia. O gol foi de Michael, aposta de Renato. Ele trocou os volantes e a saída de bola foi péssima. Futebol frustrante. O Flamengo passou sufoco. Valeu a vitória

  • Cosme Rímoli | Do R7

Renato Gaúcho comemora com Michael, sua maior aposta para o jogo na Argentina

Renato Gaúcho comemora com Michael, sua maior aposta para o jogo na Argentina

Alexandre Vidal/Flamengo

São Paulo, Brasil

A estreia de Renato Gaúcho no Flamengo foi assustadora.

O time não pressionou a saída de bola adversária, não ditou o ritmo do jogo. Não se impôs pela personalidade. E não melhorou o sistema defensivo, item obrigatório.

Seu 4-2-3-1 foi engolido pelo 3-5-2 de Sebastián Beccacece, treinador do Defensa y Justicia, na Argentina, pelas oitavas de final da Libertadores.

Mesmo assim, foi bafejado pela sorte. Um chute de Michael, que desviou em Frías e encobriu Unsain, aos 19 minutos do primeiro tempo definiu o jogo.

O Flamengo jogou muito mal, principalmente na principal mudança de Renato Gaúcho,  João Gomes e Thiago Maia, como volantes titulares fizeram péssima partida. Comprometeram a saída de bola e falharam na marcação, muito distante, dando espaço de sobra para o Defensa y Justicia trocar passes à vontade na intermediária.

A pressão na saída de bola, feita à maestria pelo time argentino, muito bem treinado e organizado, imprensou o Flamengo no seu campo de defesa. Foi quando Diego Alves passou a aparecer, fazendo ótimas defesas. Mas se confundido com a confusa dupla de zagueiros, Gustavo Henrique e Léo Pereira, que outra tiveram atuações fraquíssimas.

A alegria de Michael, autor do gol importantíssimo na Argentina. Resultado foi excelente

A alegria de Michael, autor do gol importantíssimo na Argentina. Resultado foi excelente

Alexandre Vidal/Flamengo

Renato Gaúcho teve dois dias de treinamento. E o que tentou fazer não deu certo. O Flamengo titubeava, não conseguia trocar passes. Arrascaeta e Everton Ribeiro foram prejudicados por João Gomes e Thiago Maia, não havia troca de passes. Gabigol era obrigado a pegar a bola na intermediária carioca, bem longe do gol, para poder jogar. 

Michael correu, lutou, deu carrinho. Ele queria mostrar a Renato, o quanto pode ser útil. E Michael deu muto sorte, ao chutar a gol, da entrada da área. A bola tocou no zagueiro Frias, subiu e caiu no fundo do gol de Unsain.

No mais, foi o Flamengo tentando controlar a pressão desenfreada dos argentinos.

Mas as ausências de Arão, Rodrigo Caio, Diego e Bruno Henrique, Renato Gaúcho tentou montar uma equipe compacta. Com força física. Não conseguiu. O Defensa y Justiça tomou as rédeas do jogo. Mas faltou sorte no arremate decisivo. 

Renato Gaúcho estava muito alivado ao final da partida.

O Flamengo precisa de apenas um empate, na próxima quarta-feira, no Maracanã.

E até lá, Renato Gaúcho precisa acelerar, descobrir como lidar com seus zagueiros e volantes, seus meias.  O time precisa fluidez atacando e firmeza marcando.

Por que não está nada definido.

Beccacece já eliminou o Flamengo comandando o Racing, em 2020.

É ótimo treinador.

A estrela de Renato Gaúcho brilhou.

Ganhou na estreia, quando deveria perder.

O resultado foi excelente.

Mas o futebol acabou frustrante...

Racismo após pênalti perdido e causas sociais: conheça Rashford

Últimas