Cosme Rímoli 300 minutos sem marcar. Namoro com Z-4. Corinthians sem rumo

300 minutos sem marcar. Namoro com Z-4. Corinthians sem rumo

Clube já paga as multas de Carille e Tiago Nunes. Por isso, Andrés quer manter Coelho. Mas os resultados são fracos demais. Dorival ganha força

  • Cosme Rímoli | Do R7

Com Coelho, Corinthians chega a 300 minutos sem conseguir marcar um gol

Com Coelho, Corinthians chega a 300 minutos sem conseguir marcar um gol

Reprodução/Twitter

São Paulo, Brasil

300 minutos sem marcar gols.

Só dois pontos do Z-4.

Campanha pior do que a do rebaixamento em 2007.

Insegurança dos jogadores.

Elenco fraco.

Dívida travando o clube, mesmo com o naming rights vendidos.

180 processos na justiça cobrando o clube.

Irritação dos conselheiros de situação e oposição.

Até mesmo o interino Coelho diz compreender a busca de um treinador experiente, vivido.

Colho está preparado desde o dia 11 de setembro, quando Tiago Nunes foi mandado embora, para entregar seu cargo a um novo técnico.

Toda a tensão vivida no Parque São Jorge tem um culpado.

Andrés Sanchez.

Jô e Luan. Muito pressionados, cobrados, pelo fraco poder ofensivo

Jô e Luan. Muito pressionados, cobrados, pelo fraco poder ofensivo

Agência Corinthians

Nos dois últimos meses de mandato, ele decidiu enfrentar a realidade.

Quer provar sua tese de que, no futebol, o treinador não é tão importante.

Relembra, a todo instante, a eliminação da pré-Libertadores, contra o Tolima. E que ele segurou Tite, que acabou campeão da Libertadores e do mundo. Também o sucesso de Carille, que saltou de auxiliar a treinador e conquistou o Brasileiro de 2017.

E que pode manter Coelho como treinador interino.

Até que o clube escolha novo presidente, no dia 28 de novembro.

Até o fatídico sábado de eleição, o clube enfrentará o Santos na sua arena; Ceará, em Fortaleza; Athetico, em Curitiba; Flamengo, em casa; Vasco, no Rio; Internacional, em casa; Atlético Goianiense, em Goiás.

E, no dia da eleição, o Atlético Mineiro, na arena corintiana.

Ou seja, a caminhada até a eleição, nos jogos pelo Brasileiro, não será nada fácil. 

Fora as duas partidas pelas oitavas-de-final da Copa do Brasil, contra o América Mineiro, decidindo a vaga em Belo Horizonte.

Andrés sabe, melhor do que ninguém, que  uma boa campanha no futebol ameniza todos os problemas no Corinthians.

Mas ele sabe que o clube segue pagando R$ 5,7 milhões em multas para treinadores demitidos.

veja mais: Torcida quer Daniel Alves fora. Jogador está desiludido

R$ 1,2 milhão, em três vezes, para Tiago Nunes.

E R$ 4,5 milhões, em 12 vezes, para Carille.

Por isso, Andrés desprezou os nomes de Felipão, Dunga e Sylvinho, propostos por seus companheiros de diretoria mais próximos.

Andrés Sanchez não quer pagar três técnicos. Já paga multa de Carille e Tiago Nunes

Andrés Sanchez não quer pagar três técnicos. Já paga multa de Carille e Tiago Nunes

Agência Corinthians

Sabe que eles não trabalhariam no Corinthians por menos R$ 700 mil, teto para os jogadores, e que exigiriam um contrato longo. Com multa rescisória.

Dorival Júnior, nome que cresce no clube, não.

Acumulando demissões seguidas, o treinador aceitaria receber R$ 400 mil, o salário de Tiago Nunes. Em baixa, poderia fechar sem multa rescisória.

Sua aposta no técnico da Sub-20, e ex-lateral Coelho, tem sido decepcionante.

Resultados frustrantes.

Foram cinco partidas. Uma única vitória. Dois empates e duas derrotas.

Em 13 jogos no Brasileiro, contando os oito primeiros, sob o comando de Tiago Nunes, o clube tem rendimento de 35,9%.

Digno de times que brigam pelo rebaixamento.

São três vitórias, cinco empates e cinco derrotas.

Andrés Sanchez tenta disfarçar.

Mas conselheiros que o conhecem profundamente garantem.

Ele está perto de ceder.

Percebe o quanto está prejudicando seu candidato a sucessão, Duílio Monteiro Alves.

E o clássico contra o Santos, quarta-feira, tem tudo para ser um marco.

Coelho ganhar mais fôlego.

Veja mais: Pedradas. Ameaças. Infernal a vida dos ex-dirigentes do Cruzeiro

Ou, em caso de derrota, Andrés agir.

Sabe o peso que seria o clube na zona do rebaixamento.

Ele era o presidente na queda para a Série B, em 2007.

O clima no Corinthians está muito pesado.

Ficou pior depois do 0 a 0 de ontem, contra o Red Bull Bragantino.

Foi o primeiro clube a não marcar um gol na decepcionante equipe interiorana.

Ele sumiu das redes sociais, desde o dia 27 de setembro.

Ditatorial, não colocou substituto para Duílio na diretoria do futebol.

Ou seja, todas as decisões são deles.

E ele mistura o fracasso financeiro do pagamento da arena, com o dinheiro gasto com o time, com o elenco, com o técnico.

Andrés errou feio com Tiago Nunes, que deveria ficar até o final do seu mandato.

Por isso, esta falta de rumo faltando dois meses para o Corinthians ter um novo presidente.

Dorival Júnior é o novo nome que ganha força no Corinthians

Dorival Júnior é o novo nome que ganha força no Corinthians

Athletico

Ele não queria agir.

Contratar novo técnico.

Mas as circunstâncias o estão encurralando.

O time está despencando.

Ele, mais do que Coelho, precisa da vitória contra o Santos.

Ou terá de fazer o Corinthians pagar três treinadores ao mesmo tempo.

Um novo.

Dois, Carille e Tiago Nunes, que ele apostou.

E teve de mandar embora...

Curta a página do R7 Esportes no Facebook

Craques do Brasileirão! Saiba quem são os artilheiros do nacional

Últimas