Blog do Fabiano Farah Vou te contar algumas verdades sobre o rebaixamento do Santos

Vou te contar algumas verdades sobre o rebaixamento do Santos

O problema nunca foi financeiro, mas sim, técnico, de gestão e de falta de transparência com o torcedor durante três anos

São 111 anos de história manchados, arranhados e sem cura!

O Santos Futebol Clube sucumbiu a uma gestão desportiva temerária, sem preparo, noção e amor ao futebol, ao clube.

Afirmo isso com todas as minhas forças!

O Santos foi rebaixado pela primeira vez por omissão, egocentrismo e vaidades.

Andres Rueda ficará marcado com o presidente que levou o Santos para a segunda divisão

Andres Rueda ficará marcado com o presidente que levou o Santos para a segunda divisão

Flickr/Santos FC

A atual gestão, leia-se, presidente Andres Rueda, acreditou que apenas a força da camisa e a tradição de títulos o deixaria confortável para assumir riscos.

A primeira desculpa foram "as contas deixadas pelas administrações anteriores".

Depois, a "austeridade financeira" virou bandeira da administração alvinegra.

A frase emblemática e confiante... "2023 será melhor que 2022 porque os torcedores do Santos merecem um pouco de paz", dira por Rueda foi o último suspiro do torcedor.

Este ano, que termina com uma mancha irreparável na história do clube, foi montado em cima de erros e egos.

Muita gente, com conhecimento de futebol e com ligação forte com o Santos, ofereceu ajuda ao atual presidente. E ele recusou!

Chegou a socar a mesa dizendo  "quem manda no clube sou eu".

E ele mandou... o Santos para a Série B do Brasileirão.

Tive a oportunidade de conversar com funcionários nesta quinta, o "day after" do rebaixamento e do cenário de destruição deixado pela cidade após a derradeira derrota.

Assustados, incrédulos, revoltados... apenas alguns dos adjetivos usados para definir o clima no Santos nesta quinta (07/12).

GUILHERME DIONíZIO/Estadão Conteúdo - 07.12.2023

Uma folha de pagamento que está entre as quatyro maiores dos clubes que disputaram a Série A desta temporada (R$ 15 miulhões) não foi o suficiente para qualificar o time.

Internamente o Santos foi uma "bomba relógio" durante toda a temporada.

Me revelaram que o medo de rebaixamento só preocupava a comissão técnica, o coordenador esportivo e alguns jogadores.

E que muitos atletas pareciam não ligar para o que poderia acontecer.

O presidente egocentrico sumiu!

Não esteve na Vila Belmiro na noite do rebaixamento!

Não apareceu no clube no dia seguinte!

O presidente que deu nota 7 para o próprio mandato, desapareceu!

A torcida (a mesma que protestou no pós jogo) invadiu a Vila Belmiro, colocou funcionários para fora do estádio, tentou invadir o local onde fica o controle de câmeras do estádio... pediu a presença de algum dirigente, em vão.

A Polícia Militar teve que intervir!

Quem estava vivendo esses momentos de terror na tarde desta quinta (07/12) relatava o "abandono da diretoria com seus colaboradores".

A dor de uma derrota, de um rebaixamento inédito, foi sentida por quem não toima decisões no dia a dia, por quem é apenas um "operário a serviço do clube".

Mais triste ainda é sabermos de relatos que o atual presidente já está de malas prontas para visitar parentes no exterior e que não participará da transição com o grupo do próximo presidente, que será eleito no sábado (09/12) em assembléia na Vila Belmiro e com opção do voto online.

Rueda fez hoje o que faz há três anos com o clube: o abandonou!

Uma máquina de moer treinadores, dirigentes... 

Especialistas em tomar decisões erradas...

O Santos rebaixado é o retrato de sua atual gestão!

O Santos, que começou o ano chorando a perda do Rei Pelé... termina a temporada chorando a perda da dignidade.

Senhoras e senhores... o problema nunca foi dinheiro!

Senhoras e senhores... o problema sempre foi amadorismo!

Os textos aqui publicados não refletem necessariamente a opinião do Grupo Record.

Últimas