Tóquio 2020

Olimpíadas Vôlei: Brasil supera ausência de Tandara e avança à final dos Jogos

Vôlei: Brasil supera ausência de Tandara e avança à final dos Jogos

Com atuação consistente e Fê Garay inspirada, seleção feminina passa fácil pela Coreia do Sul e enfrentará os EUA na decisão

  • Olimpíadas | Do R7

Seleção feminina de vôlei do Brasil está na final dos Jogos de Tóquio

Seleção feminina de vôlei do Brasil está na final dos Jogos de Tóquio

Carlos Garcia Rawlins/Reuters - 6/8/2021

A seleção feminina de vôlei superou o trauma da suspensão provisória de Tandara por violação na regra antidopagem, passou com facilidade na semifinal pela Coreia do Sul e garantiu a vaga na decisão contra os Estados Unidos. As parciais foram de 25/16, 25/16 e 25/16. A decisão, que teve a presença ilustre de Rebeca Andrade nas arquibancadas, medalhista duas vezes na ginástica artística nos Jogos de Tóquio, será contra os Estados Unidos, neste domingo (8), à 1h30.

O primeiro set começou com o ponto de Rosamaria, a substituta de Tandara. Depois de alternâncias no placar, os pontos decisivos de Carol Gataz e atuação impecável de Fê Garay fizeram o time de José Roberto Guimarães abrir boa vantagem.

Apesar da superioridade, o time asiático não se deu por vencido e brigava por todas as bolas. O rally mais emocionante da primeira etapa durou 31 segundos e as adversárias levaram o ponto. O talento do Brasil, no entanto, prevaleceu.

A segunda etapa começou com um erro de saque de Macris, levantadora titular que se recuperou de vez da lesão no tornozelo. A atleta não se abateu e, na sequência, anotou um lindo ponto de segunda. Gabriela e Rosamaria no ataque e Fê Garai no bloqueio impediram qualquer reação das sul-coreanas no início do set.

Natália, que recebeu oportunidade de José Roberto, entrou bem e se destacou no bloqueio. Ponto alto no segundo set, o Brasil devolveu o ponto do rally da etapa inicial. Foram 33 segundos de luta.

No terceiro e último set, o Brasil não diminuiu o ritmo e abriu vantagem de quatro pontos logo no início. Fê Garay segui como destaque nos bloqueios e, naquela altura, já era a maior pontudora da partida, com 13 pontos. 

A Coreia abusava dos erros de recepção e saques e a seleção brasileira seguia implacável. Natália pontuava em todos os fundamentos e Garay seguia somando pontos. O único ponto de preocupação foi a saída de Rosamaria, mancando. Nada que abalasse a confiança da equipe, que atropelou as adversárias, novamente pelo placar por 25 a 16.

Na grande final deste domingo, se a tradição prevalecer, não teria rival melhor para a final na Olimpíada de Tóquio. Nas duas vezes em que chegou à decisão em Jogos Olímpicos no torneio feminino de vôlei, o Brasil enfrentou os Estados Unidos e saiu vencedor.

Últimas