Olimpíadas Técnico da ginástica é encontrado morto após acusação de crimes

Técnico da ginástica é encontrado morto após acusação de crimes

John Geddert, de 63 anos, vinha sendo investigado há três anos por acusações de tráfico de pessoas e abusos sexuais

  • Olimpíadas | Do R7, com AFP

John Geddert comora ouro com atletas da ginástica americana em Londres 2012

John Geddert comora ouro com atletas da ginástica americana em Londres 2012

Kyle Terada/Reuters - 31/7/2012

Pouco depois de ser formalmente acusado de tráfico de pessoas e crimes sexuais, John Geddert, de 63 anos, se matou nos Estados Unidos. O ex-técnico da equipe feminina norte-americana de ginástica artística foi encontrado morto nesta quinta-feira (25), segundo as autoridades do Estado de Michigan, as mesmas que investigavam o caso.

Geddert, que foi campeão olímpico dos Jogos de Londres 2012, vinha sendo investigado há três anos, após acusações feitas contra ele por ex-ginastas que testemunharam no julgamento de Larry Nassar, médico do time de ginástica americano, que foi condenado a 60 anos de prisão por pedofilia — Nassar confessou ter abusado de dez ginastas menores de idade.

Geddert teria inclusive acobertado crimes de Nassar

Geddert teria inclusive acobertado crimes de Nassar

AFP

O ex-treinador deveria se entregar em uma delegacia de Grand Ledge mas, sem que ele aparecesse, a polícia decidiu ir ao seu encontro. A expectativa, segundo a mídia americana, era que Geddert pegasse prisão perpétua. Os dois trabalharam juntos em uma reconhecida academia em Michigan e formaram a base da vitoriosa seleção americana.

Geddert era acusado de tráfico de pessoas, crimes sexuais, organização criminosa e mentir à polícia, já que teria acobertado os crimes de Nassar. Além disso, ele tinha duas acusações de abusos sexuais, que teriam sido cometidos em vítimas de 13 e 16 anos. 

A procuradora-geral Dana Nessel explicou no Twitter que o escritório dela foi notificado que o copo de Geddert foi encontrado morto antes que ele se apresentasse às autoridades.

“Esse é um fim trágico para uma história trágica para todas as pessoas envolvidas no caso”, escreveu Dana.

Woods não corre risco de morte, mas volta ao golfe é posta em xeque

Últimas