Coronavírus

Olimpíadas Presidente do COI diz que Jogos serão disputados: 'Não há plano B'

Presidente do COI diz que Jogos serão disputados: 'Não há plano B'

Thomas Bach diz que acredita na realização da Olimpíada, mesmo com Japão em estado de emergência devido à covid-19

Agência Estado - Esportes
Thomas Boach afirma que Olimpíada acontecerá a partir de 23 de julho

Thomas Boach afirma que Olimpíada acontecerá a partir de 23 de julho

Behrouz Mehri/EFE - 17.11.2020

Os Jogos Olímpicos de Tóquio 2020, adiados em um ano por causa da pandemia do novo coronavírus, irão acontecer em 2021. Isso é o que garante o alemão Thomas Bach, presidente do Comitê Olímpico Internacional (COI), que declarou nesta quinta-feira que está convencido de que o evento será disputado nas datas programadas - entre 23 de julho e 8 de agosto -, acrescentando que "não há um plano B".

"Nós temos, neste momento, nenhuma razão para acreditar que os Jogos Olímpicos de Tóquio não começarão no dia 23 de julho no estádio Olímpico de Tóquio. Isto é porque não há um plano B e porque estamos totalmente comprometidos em fazer estes Jogos seguros e bem-sucedidos", afirmou Bach em entrevista ao jornal japonês Kyodo News.

As declarações do presidente do COI acontecem em meio ao crescimento do número de casos de covid-19 no mundo e ao aumento das restrições no Japão, onde a população japonesa cada vez mais se mostra contrária à realização do evento esportivo.

No último dia 7, o governo do Japão declarou estado de emergência em Tóquio e em algumas regiões da região metropolitana, com duração prevista de um mês. A entrada de cidadãos estrangeiros foi proibida no país - antes da virada do ano os privilégios concedidos a atletas já haviam sido retirados.

Três dias depois, a imprensa japonesa publicou uma pesquisa que revelava que 80% dos japoneses são contra a realização dos Jogos de Tóquio-2020 no cenário atual.

Nesta semana, um porta-voz do governo confirmou a realização da Olimpíada e disse que a vacina não será um pré-requisito. Keith Mills, que foi vice-presidente do Comitê Organizador dos Jogos de Londres-2012, no entanto, mostrou-se pessimista: "Muito improvável de acontecer".

Curta a página do R7 Esportes no Facebook.

Últimas