Tóquio 2020

Olimpíadas Prata, Gattaz se torna a mais velha mulher do Brasil a ganhar medalha

Prata, Gattaz se torna a mais velha mulher do Brasil a ganhar medalha

Atacante de 40 anos fez sua 1ª Olimpíada após ser cortada dos dois últimos Jogos e terminou com a medalha de prata

  • Olimpíadas | Paulo Guilherme, do R7

Carol Gattaz completou 40 anos durante a Olimpíada

Carol Gattaz completou 40 anos durante a Olimpíada

Pilar Olivares/REUTERS/08-08-2021

Com a medalha de prata no vôlei, a jogadora Carol Gattaz se tornou a mais velha mulher medalhista da história do esporte brasileiro nas Olimpíadas. Aos 40 anos, superou outra jogadora de vôlei, Fofão, que tinha 38 anos quando ganhou o ouro olímpico em Londres 2012. Apesar de não conseguir a medalha de ouro, Carol Gattaz entrou na seleção final da Olimpíada (leia ao final dessa reportagem).

"Não conseguimos jogar o que podemos, infelizmente. Mas carrego essa medalha de prata com muito orgulho, por tudo o que passamos para chegar até aqui, desde o começo de tudo, lá em Saquarema. Essa medalha é para todo mundo no Brasil", disse Gattaz depois da partida.

Juntando com os homens que já ganharam medalhas olímpicas pelo Brasil, Gattaz fica em quinto lugar, atrás de Sebastião Wolf (que tinha 51 anos quando foi bronze na Antuérpia em 1920), do cavaleiro Luiz Felipe de Azevedo (que tinha 47 anos quando foi bronze no hipismo em Sydney 2000), Torben Grael (que tinha 44 anos quando foi campeão em Londres 2012), do jogador de vôlei Serginho (que tinha 40 anos e dez meses na Rio 2016).

Veja os medalhistas olímpicos mais velhos do Brasil:
51 anos - Sebastião Wolf, tiro esportivo, bronze (1920)
47 anos - Luiz Felipe de Azevedo, hipismo, bronze (2000)
44 anos - Torben Grael, vela, ouro (2004)
40 anos - Serginho, vôlei, ouro (2016)
40 anos - Carol Gattaz, vôlei, prata (2021)
39 anos - Robert Scheidt, vela, bronze (2012)
38 anos - Daniel Alves, futebol, ouro (2020)
38 anos - Fofão, vôlei, ouro (2012)
38 anos - Dario Barbosa, tiro, bronze (1920)
36 anos - Guilherme Paraense, tiro, ouro e bronze (1920)
36 anos - Hortência, basquete, prata (1996)
36 anos - Lars Bjorstrom, vela, ouro (1980)
36 anos - Marta Sobral, basquete, bronze (2000)
35 anos - Fernanda Garay, vôlei, ouro (2021)
35 anos - Vanderlei Cordeiro, maratona, bronze (2004)

Carol Gattaz comemorou aniversário de quatro décadas no meio da disputa do torneio feminino de vôlei da Olimpíada de Tóquio 2020.  Em meio à festa que recebeu das companheiras de seleção, Gattaz curtiu cada momento dos Jogos. Depois de ficar de fora da lista final de convocadas por duas olimpíadas seguidas (Londres 2012 e Rio 2016), Carol foi uma estreante com experiência de veterana.

Carol Gattaz fez 72 pontos no total

Carol Gattaz fez 72 pontos no total

Valentyn Ogirenko/Reuters - 27.07.2021

"Sonhos não envelhecem", escreveu Carol Gattaz no dia que chegou ao Japão. "Sonhei demais com esse dia! Pode ter demorado muito, mas talvez seja a hora certa mesmo. Sinto uma alegria e uma responsabilidade imensa por carregar a bandeira do meu país e toda essa torcida  gigantesca no meu peito. Faremos o nosso melhor nos Jogos Olímpicos. Obrigada a todo mundo que me ajudou a chegar até aqui. E vamos trabalhar muito!"

Ela agarrou como ninguém a oportunidade de sua vida. Sua colega de equipe do Minas, a central Thaísa, pediu para não ser convocada para poder cuidar de problemas físicos. Carol Gattaz foi para a Liga das Nações disputando vaga no time olímpico com outra veterana, Adenízia, campeã olímpica, e as jovens Carol e Ana Beatriz, a Bia. 

Jogando cada ponto com muita seriedade, se tornou titular indiscutível ao lado da outra Carol. Bia ficou na reserva e mal teve chances de entrar. Adenízia foi cortada da lista final anunciada às vésperas da viagem ao Japão.

"Nem nos meus melhores sonhos de criança eu imaginaria ganhar um presente desse. Papai do céu caprichou! Todo esforço vale a pena."

Gattaz na seleção dos Jogos

Na final olímpica contra os Estados Unidos, no entanto, Carol Gattaz foi bem marcada e não conseguiu ajudar o Brasil a sair do sufoco imposto pelas adversárias. Ela fez apenas três pontos durante toda a partida. Em toda a Olimpíada, Gattaz fez 72 pontos, sendo 43 de ataque e 22 de bloqueio. Ela foi a terceira melhor bloqueadora da competição.

Gattaz foi a única jogadora brasileira presente na seleção do torneio de vôlei feminino dos Jogos de Tóquio, divulgada após a final. Confira abaixo a Seleção de Tóquio:

Melhor levantadora: Jordyn Poulter (EUA)
Melhor oposta: Tijana Boskovic (Sérvia)
Melhores ponteiras: Jordan Larson (EUA) e Michelle Bartsch-Hackley (EUA)
Melhores centrais: Haleigh Washington (EUA) e Carol Gattaz (BRA)
Melhor líbero: Justine Wong-Orantes (EUA)

Últimas