Coronavírus

Olimpíadas Por menor intervalo entre doses, atletas serão vacinados com Pfizer

Por menor intervalo entre doses, atletas serão vacinados com Pfizer

Cerca de 1,8 mil membros da delegação receberão imunizantes antes de Tóquio 2020. Doses excedentes entrarão no PNI

  • Olimpíadas | André Avelar, do R7

Nadadora Cate Campbell recebeu vacina do programa de vacinação do comitê australiano

Nadadora Cate Campbell recebeu vacina do programa de vacinação do comitê australiano

PATRICK HAMILTON/AFP - 10/5/2021

O governo federal e o COB (Comitê Olímpico do Brasil) decidiram vacinar a delegação brasileira que vai a Tóquio 2020 com vacinas da Pfizer/BioNTech. A escolha se deu pelo menor intervalo de aplicação entre uma dose e outra, no combate à covid-19.

Além das vacinas da Pfizer, o país também recebeu imunizantes da Sinovac. As duas empresas fizeram doações para o COI (Comitê Olímpico Internacional), que ajudou a costurar acordos com os comitês nacionais. Ao todo, serão mais 4.050 doses da Pfizer e 8 mil da Sinovac.

“Essas vacinas permitem um curto espaço de tempo [entre a primeira e a segunda dose] e, com isso, assegura uma imunização eficiente para os atletas”, disse o ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, que também explicou que a vacina alemã já está aprovada nos Estados Unidos e na Europa.

O intervalo entre as vacinas de diferentes fabricantes é debate entre os cientistas e a própria OMS (Organização Mundial de Saúde). Segundo a Pfizer, em 21 dias, a segunda dose da sua vacina já poderá ser aplicada — a Sinovac tem sido recomendada para até 30 dias de intervalo.

Os números de vacinas são suficientes para vacinar atletas, membros das comissões técnicas, árbitros e jornalistas que participarão da cobertura dos Jogos Olímpicos e Paralímpicos Tóquio 2020. Segundo o COB e o governo, que apresentaram o plano em entrevista coletiva na última terça, serão 1.814 pessoas incluídas no PNI (Programa Nacional de Imunização).

As demais doses doadas ao Brasil serão repassadas ao SUS (Sistema Único de Saúde) para contribuir para a imunização da população em geral. Até agora, como mostra o Mapa de Vacinação do R7, pouco mais de 36 milhões de brasileiros (17,24%) receberam a primeira dose de uma das vacinas; cerca de 18 milhões de pessoas (8,68%) já receberam a segunda dose.

O movimento do COB é semelhante ao de outros comitês nacionais para imunizar seus atletas. Uma das maiores delegações, por exemplo, a Austrália iniciou um programa parecido. O COI não condicionou a participação nos Jogos Olímpicos à vacinação, mas apoiou e ajudou no diálogo com laboratórios para maior segurança em Tóquio, durante a competição que foi adiada em um ano devido à pandemia do novo coronavírus.

Diferença de datas

O Ministério da Saúde divulgou que a vacinação da delegação começará já nesta quarta. O COB, no entanto, prevê o início da imunização para a sexta. O ministro Queiroga, inclusive, é esperado no Centro de Treinamento Time Brasil, no fim da semana, no Rio, para prestigiar a vacinação dos atletas.

A expectativa do COB é que até 21 de junho, todos estejam vacinados. Os Jogos Olímpicos Tóquio 2020 vão de 23 de julho a 8 de agosto.

Seleção brasileira de vôlei divulga uniformes para Tóquio 2020

Últimas