Tóquio 2020

Olimpíadas 'Não quero sair sem a medalha', diz Formiga sobre última Olimpíada

'Não quero sair sem a medalha', diz Formiga sobre última Olimpíada

Aos 43 anos, meia terá em Tóquio 2020 a última chance de conquistar medalha de ouro inédita com a seleção feminina

  • Olimpíadas | Gabriel Croquer, do R7

Formiga já bateu na trave duas vezes pelo ouro olímpico, caindo para os EUA na final

Formiga já bateu na trave duas vezes pelo ouro olímpico, caindo para os EUA na final

Sam Robles/CBF - 21/07/2021

Aos 43 anos e em sua sétima edição dos Jogos Olimpícos, a meio-campista da seleção brasileira Formiga sua experiência vê sua experiência como trunfo para conquistar a inédita medalha de ouro em Tóquio 2020, que será sua última participação nos Jogos. 

"O que eu não quero viver aqui é sair sem a medalha, sem dúvidas, e claro levar a medalha para o Brasil, a de ouro", disse a atleta nesta sexta-feira (23), em entrevista coletiva. "Por ser minha última [Olimpíada] e ter vivido tantas, e tantas emoções, eu consigo ajudar a equipe para a gente tomar as decisões corretas juntas e avançar fase a fase".  

O Brasil estreou com brilho em Tóquio 2020 nesta quarta-feira (20), com goleada humilhante sobre a China por 5 a 0. Formiga, porém, alerta que a competição está só começando e se diz já de olho na Holanda, próxima adversária pela disputa do grupo F.

"A gente sabe que demos só o primeiro passo, o primeiro degrau só. Sabemos que temos outras pedreiras pela frente (...). Uma potência que é a Holanda no próximo jogo, a gente sabe que não vai ser fácil. Então o que passou, passou. A China está lá atrás", comentou. 

Parte das seleções brasileiras desde a edição de Atlanta 1996 dos Jogos, a meia sabe bem o que é chegar longe na competição. Ela foi vice em duas edições seguidas, caindo em ambas vezes para os EUA, potência do futebol feminino, nas finais de Atenas 2004 e Beijing 2008. 

Em busca do ouro, o Brasil joga com a Holanda neste sábado (24), às 8h (horário de Brasília) e faz a última partida da fase de grupos contra a Zâmbia na próxima terça-feira (27). 

Durante a entrevista, a craque falou sobre os planos depois do fim da carreira como jogadora. Não só como treinadora, Formiga afirmou também que pretende estudar gestão esportiva para continuar na área. "O que eu não posso é ficar longe do futebol", declarou.

Últimas