Tóquio 2020

Olimpíadas Marcha atlética: 'É muito duro por tudo que fiz', lamenta Erica Sena

Marcha atlética: 'É muito duro por tudo que fiz', lamenta Erica Sena

Brasileira levou punição no final da prova e perdeu medalha. 'Nunca havia acontecido comigo em grandes competições', disse

  • Olimpíadas | Do R7

Erica Sena acabou em 11º lugar na marcha atlética

Erica Sena acabou em 11º lugar na marcha atlética

Alexandre Castello Branco/Divulgação/COB

Penalizada nos momentos finais dos 20 quilômetros da marcha atlética, na madrugada desta sexta-feira (6), nos Jogos de Tóquio, a brasileira Erica Sena, que caminhava para levar o Brasil ao pódio, lamentou o ocorrido, dizendo que "queria muito esse resultado, a marcha atlética brasileira precisava muito disso e eu dei tudo de mim na competição".

"O que ocorreu no final foi muito inesperado e nunca havia acontecido comigo em grandes competições. A chinesa que estava atrás de mim é a atual campeã mundial e uma atleta muito rápida. A ideia era acelerar antes e ganhar distância dela. Deu certo e quando vi, já estava me aproximando da colombiana e brigando pelo segundo lugar", contou a atleta ao COB (Comitê Olímpico do Brasil).

"Depois disso, todos viram o que aconteceu. É muito duro por tudo que fiz, mas aconteceu. Fiz o melhor que pude e dei tudo de mim por essa medalha", completou.

Érica se manteve durante toda a prova no pelotão de elite, chegando a puxar o grupo na frente de todas as atletas em alguns trechos. No último quilômetro, a brasileira estava na terceira colocação, caminhando para conquistar o bronze, quando recebeu a terceira punição, que obrigou a ficar dois minutos parada. Com a pena, ela terminou a prova na 11ª colocação com o tempo de 1h31min39s.

"O que ocorreu no final foi muito inesperado e nunca havia acontecido comigo em grandes competições. A chinesa que estava atrás de mim é a atual campeã mundial e uma atleta muito rápida. A ideia era acelerar antes e ganhar distância dela. Deu certo e quando vi, já estava me aproximando da colombiana e brigando pelo segundo lugar. Depois disso, todos viram o que aconteceu. É muito duro por tudo que fiz, mas aconteceu. Fiz o melhor que pude e dei tudo de mim por essa medalha", disse.

Conforme o COB, Erica foi a primeira mulher do Brasil a conquistar uma medalha na marcha atlética em Jogos Pan-americanos, a prata em Toronto 2015. Em 2019, em Lima, terminou em terceiro lugar. 

Últimas