Tóquio 2020

Olimpíadas Kelvin minimiza polêmica com Letícia Bufoni: ‘Só nos afastamos’ 

Kelvin minimiza polêmica com Letícia Bufoni: ‘Só nos afastamos’ 

Atleta brasileira não estava presente na pista de Jogos Olímpicos Tóquio 2020 para celebrar medalha de prata do compatriota

  • Olimpíadas | André Avelar, do R7, em Tóquio, no Japão

Kelvin Hoefler, de 27 anos, conquistou medalha de prata no street do skate em Tóquio

Kelvin Hoefler, de 27 anos, conquistou medalha de prata no street do skate em Tóquio

Jonne Roriz/Divulgação/COB - 25/7/2021

Entre tantos abraços e cumprimentos pela medalha de Kelvin Hoefler neste domingo (25), em Tóquio 2020, faltou pelo menos um. A também skatista Letícia Bufoni foi às redes sociais explicar por que teria celebrado de forma fria a conquista do esporte que estreia em Jogos Olímpicos.

O novo medalhista olímpico, ainda sem saber da postagem de Letícia, minimizou qualquer polêmica e disse que eles naturalmente se afastaram.

Letícia foi às redes sociais explicar relação com Hoefler

Letícia foi às redes sociais explicar relação com Hoefler

Reprodução/Instagram/@leticiabufoni

“Estão me perguntando por que não posto o Kelvin nos meus stories. O Kelvin, pelo que vocês perceberam, nunca está com a gente nos rolês por uma opção dele. Ninguém tem nada contra ele, pelo contrário, está todo mundo aqui comemorando que o Brasil ganhou uma medalha”, começou Letícia.

A atleta estava na arquibancada do Ariake Sports Park e postou um stories sobre a medalha de ouro do japonês Yuto Horigome.

Após a conquista da medalha, Kelvin — muito solícito com os jornalistas brasileiros, simpático ao quebrar o protocolo e cumprimentar todos com soquinho com a mão (o distanciamento, claro, ainda é uma perseguição para evitar a disseminação do coronavírus) — foi perguntado sobre a relação com os demais atletas.

Ele explicou que a vida os afastou naturalmente e deixou bem claro que não houve nenhuma briga. Talvez, por seu jeito avesso à rede social, a relação tenha ficado mais fria.

“Cresci junto com a Letícia. A tia dela morava na minha rua. A gente era muito próximo, mas ela foi antes para os Estados Unidos e a gente perdeu um pouco do contato. Mas é a mesma família”, disse o skatista. “Só nós afastamos, mas não tem nada demais.”

Se Leticia não estava na pista, Kelvin contou muito com a ajuda de Pâmela Rosa. O atleta disse que a compatriota sempre o ajuda com o seu olhar apurado para a técnica das manobras.

Já nesta segunda-feira em Tóquio, Letícia, Pâmela e Rayssa Leal começam a disputa por medalhas no street feminino. Entre as melhores do ranking, elas têm a chance de fazer um pódio triplo para o Brasil.

Últimas