Novo Coronavírus

Olimpíadas Federação adia Copa do Mundo de Ginástica Artística para 2021

Federação adia Copa do Mundo de Ginástica Artística para 2021

Com decisão da organização, oito etapas são atingidas entre ginástica artística e rítmica. Competições devem acontecer antes da Olimpíada  

Agência Estado - Esportes
Mundial de ginastica deve acontecer apenas em 2021

Mundial de ginastica deve acontecer apenas em 2021

Rodolfo Vilela/Ministério da Cidadania

A Federação Internacional de Ginástica (FIG, na sigla em francês) se rendeu à incerteza relacionada à pandemia do novo coronavírus e anunciou nesta sexta-feira (3) o adiamento para 2021 de todas as etapas da Copa do Mundo que estavam programadas para esse ano. São quatro de ginástica artística e outras quatro de ginástica rítmica.

As competições atingidas na ginástica artística são as de Stuttgart (Alemanha), Birmingham (Inglaterra), Tóquio (Japão) e Doha (Catar). Esta última, uma etapa somente por aparelhos, é a única já com data acertada em 2021: de 10 a 13 de março. As outras deverão acontecer também no primeiro semestre, antes dos Jogos Olímpicos de Tóquio-2020, que serão de 23 de julho a 8 de agosto.

Na ginástica rítmica, a FIG já anunciou as datas em 2021 das quatro etapas adiadas. São elas: Sófia, na Bulgária, de 9 a 11 de abril; Tashkent, no Usbequistão, de 16 a 18 de abril; Baku, no Azerbaijão, de 7 a 9 de maio; e Pesaro, na Itália, de 28 a 30 de maio.

"Reorganizar o calendário leva tempo. Nestas circunstâncias excepcionais, a federação acredita que é primordial atuar com cautela e assegurar que os esportistas tenham acesso às competições que desejam disputar, assim como tenham tempo de se preparar para competir em alto nível", informou a FIG em um comunicado oficial divulgado nesta sexta-feira.

No Brasil

No mesmo dia em que etapas da Copa do Mundo em 2020 foram adiadas, a seleção brasileira feminina de ginástica artística faz nesta sexta-feira (3) um treino aberto virtual com Jade Barbosa, Rebeca Andrade, Flávia Saraiva, Thais Fidelis, Lorrane dos Santos e Carolyne Pedro, além das juvenis Christal Bezerra e Isabel Barbosa.

No início de junho, a Confederação Brasileira de Ginástica (CBG) abriu o treino do Grupo de Controle, formado por atletas promissoras. Foram oferecidas mil vagas na sala virtual e todas foram preenchidas. Nesta sexta-feira, a capacidade de público foi triplicada.

Assim, esta será uma oportunidade para acompanhar o que a elite da ginástica artística feminina do Brasil está fazendo para manter o moral elevado e a forma durante a pandemia, mas com toda a preocupação com o "espetáculo" oferecido ao público. "Num treino fechado, fazemos mais pausas para correção dos exercícios. O treino aberto é mais dinâmico, de forma a evitar que fique monótono para os espectadores", explicou Francisco Porath Neto, treinador da seleção brasileira feminina.

Além disso, o público pode acompanhar também treinadores de clubes e associações comandando parte dos exercícios. "É muito bom termos a participação dos treinadores de clubes. Eles é que fazem a ginástica artística brasileira acontecer no dia a dia. Esse tipo de atividade é importante para mantê-los motivados também", finalizou Porath Neto.

Curta a página do R7 Esportes no Facebook

Após segunda cirurgia, Alex Zanardi está sedado e intubado na UTI

Últimas