Tóquio 2020

Olimpíadas Djokovic mira Paris 2024 após derrotas em Tóquio

Djokovic mira Paris 2024 após derrotas em Tóquio

Sérvio afirmou ter sido um privilégio participar da competição após desistir da disputa da medalha de bronze

Agência Estado - Esportes
Djokovic desistiu de disputar a medalha de bronze nas Olimpíadas de Tóquio

Djokovic desistiu de disputar a medalha de bronze nas Olimpíadas de Tóquio

EFE/EPA/RUNGROJ YONGRIT

Apesar da inevitável frustração por novamente não chegar sequer à final olímpica nos Jogos de Tóquio 2020, tenista sérvio Novak Djokovic, o número 1 do mundo, se manifestou em suas redes sociais e garantiu que jogar no Japão foi "um privilégio" e que fez o máximo que pôde para sair com mais uma medalha para sua carreira.

Esta foi a quarta participação olímpica de Djokovic, que também entrou nos Jogos de Pequim, na China, em 2008, foi a Londres, na Inglaterra, em 2012 e tentou no Rio de Janeiro, no Brasil, em 2016, mas ao longo de toda essa trajetória obteve apenas uma medalha de bronze em simples, justamente na primeira tentativa.

O sérvio perdeu a disputa pelo pódio na grama inglesa para o argentino Juan Martin del Potro, que também o eliminou na estreia do Rio de Janeiro. Já em Tóquio, perdeu a semifinal para o alemão Alexander Zverev e foi batido pelo espanhol Pablo Carreño Busta na luta por um novo bronze.

Apesar dos 37 anos que terá daqui a três temporadas, Djokovic já diz que pretende disputar a Olimpíada pela quinta vez e que espera "voltar mais forte em Paris 2024".

"É um privilégio real representar a Sérvia nas Olimpíadas. Obrigado, Tóquio 2020 e todos que nos ajudaram a se unir pela magia do esporte. Sei no meu coração que dei tudo para lutar por uma medalha, e estou de olho em voltar ainda mais forte em Paris 2024", escreveu. "Foi uma experiência incrível que nunca vou esquecer. Boa sorte a todos os atletas da Sérvia que ainda competem por medalhas", acrescentou.

Quanto à polêmica desistência da disputa da medalha de bronze nas duplas mistas, ele disse que teve apoio da parceira Nina Stojanovic - por conta de uma lesão no ombro esquerdo segundo a Federação Internacional de Tênis (ITF, na sigla em inglês).

Chilique após derrota e contra vacinação: as polêmicas de Djokovic

Últimas