Olimpíadas Defesa de Carol Solberg decide recorrer e quer absolvição da atleta

Defesa de Carol Solberg decide recorrer e quer absolvição da atleta

Jogadora de vôlei de praia, que se manifestou contra presidente Jair Bolsonaro em torneio, recebeu multa convertida em advertência no STJD do Vôlei

  • Olimpíadas | Do R7

Talita e Carol conquistaram bronze

Talita e Carol conquistaram bronze

Reprodução/Instagram/@carol_solberg

A defesa da atleta Carol Solberg decidiu nesta segunda-feira (19) recorrer da decisão do STJD (Superior Tribunal de Justiça Desportiva) do Vôlei da advertência por supostamente desrespeitar o regulamento do Circuito Brasileiro de Vôlei de Praia. Os advogados entendem que “o fato é atípico” e que por isso merece ser novamente examinado.

Na última terça, Carol foi multada, a pena depois foi convertida em advertência, por se manifestar contra o presidente Jair Bolsonaro, em entrevista ao vivo após uma partida ao lado da parceira Talita Antunes. Os advogados Felipe Santa Cruz e Leonardo Andreotti afirmam agora que nem o Código Brasileiro de Justiça Desportiva e nem o Regulamento das competições proíbem tal conduta.

“Os advogados estão confiante que o Pleno do STJD, ao avaliar tecnicamente a questão, certamente não chegará a outra conclusão que não a absolvição da Atleta, mas que o caso é paradigmático e pode colocar o país na vanguarda da discussão sobre o tema”, diz um trecho da nota enviada à imprensa pela defesa da atleta.

Carol foi condenada por três votos a dois. Segundo o relator, Robson Vieira, houve descumprimento de trecho do regulamento que proíbe dar opinião que prejudique a CBV (Confederação Brasileira de Vôlei) ou seus parceiros comerciais. O Banco do Brasil é patrocinador do vôlei nacional.

Punição incomum! Campeão mundial é suspenso por trair esposa

Últimas