Olimpíadas De olho nas Olimpíadas, brasileiros se animam com torneio de breaking

De olho nas Olimpíadas, brasileiros se animam com torneio de breaking

Isabela Rocha, a b-girl Itsa, reforçou importância das batalhas online, como as que acontecem no Red Bull BC One

  • Olimpíadas | Do R7

Duelos da primeira etapa do BC One serão realizados virtualmente

Duelos da primeira etapa do BC One serão realizados virtualmente

Divulgação/Red Bull

No primeiro grande evento depois da confirmação do breaking dance como esporte olímpico, os brasileiros estão empolgados com a participação no Red Bull BC One, que começa neste fim de semana, ainda de forma online. O país é uma das referências na modalidade que estreará nos Jogos Olímpicos Paris 2024.

O BC One é a maior competição de breaking no formato um contra um e, devido à pandemia do novo coronavírus, terá a sua primeira etapa 100% virtual. No segundo semestre, os classificados participarão de uma fase presencial e internacional, na Polônia.

“As batalhas online são uma ótima oportunidade para quem deseja participar de eventos internacionais e, muitas vezes, não tem condições de arcar com uma estadia e passagem para outro país”, disse a brasileira Isabela Rocha, a Itsa, campeã nacional em 2019.

O COI (Comitê Olímpico Internacional) ainda não anunciou como serão as regras da competição em Paris 2024. Ainda assim, os eventos internacionais dão grande esperança de medalha para o país.

Para o BC One, b-boys e b-girls de todo o mundo, como são chamados os competidores, podem enviar vídeos de um minuto e, na sequência, passarão pela avaliação de grandes referências da cena, como o  holandês Menno, a francesa Sarah Bee e o polandês Kleju.

Ao final da análise, os 16 dançarinos selecionados no masculino e no feminino, deverão enviar um novo vídeo. Após isso, oito b-boys e oito b-Girls avançam à última etapa e batalharão na grande final.

Primeiros atletas brasileiros são vacinados para os Jogos Olímpicos

Últimas