Tóquio 2020

Olimpíadas Com Marcell Jacobs, Itália leva ouro no revezamento 4x100m masculino

Com Marcell Jacobs, Itália leva ouro no revezamento 4x100m masculino

Em uma chegada espetacular no estádio Olímpico, nesta sexta-feira, o time italiano venceu a prova na Tóquio 2020

Agência Estado - Esportes

A Itália surpreendeu novamente no atletismo dos Jogos Olímpicos de Tóquio-2020. Em uma chegada espetacular no estádio Olímpico, nesta sexta-feira, o time italiano conquistou a medalha de ouro na prova do revezamento 4x100 metros masculino, com o tempo de 37s50. Por um centésimo, a Grã-Bretanha ficou com a prata. O time do Canadá levou o bronze com 37s70.

Lamont Marcell Jacobs, ouro na prova dos 100 metros, foi o segundo a levar o bastão para os italianos. Lorenzo Patta abriu o revezamento, Eseosa Desalu foi o terceiro e Filippo Tortu cruzou a linha de chegada. Com isso, a Itália já tem cinco ouros no atletismo e só fica atrás dos Estados Unidos no quadro de medalhas da modalidade.

No revezamento 4x100 metros feminino, a Jamaica superou os Estados Unidos e a Grã-Bretanha e ganhou a medalha de ouro. O tempo das campeãs foi de 41s02. Correram, pelo país do Caribe, Elaine Thompson-Herah, Shelly-Ann Fraser-Pryce, Shericka Jackson e Briana Williams. As três primeiras haviam sido ouro, prata e bronze, respectivamente, na prova dos 100 metros.

MARCA HISTÓRICA - Nos 400 metros feminino, Shaunae Miller-Uibo, de Bahamas, sagrou-se bicampeã olímpica com o tempo de 48s37, mas outra marca histórica foi atingida na prova. Allyson Felix, dos Estados Unidos, conquistou o bronze com 49s46 e faturou a sua 10.ª medalha olímpica. Ela passa a ser, sozinha, a atleta mulher mais laureada do esporte na história das olimpíadas.

Foram cinco ouros em revezamentos, entre Pequim-2008 e Rio-2016, e mais um ouro nos 200 metros em Londres- 2012. Três pratas vieram nos 200 metros em Atenas-2004 e Pequim-2008, e nos 400 metros no Rio-2016. Agora, com o bronze, ela desempata em número de medalhas com a jamaicana Marlene Ottey.

Allyson Felix também iguala Carl Lewis como maior medalhista olímpica do atletismo dos Estados Unidos, masculino ou feminino. A atleta já tinha a marca de maior medalhista da história em Mundiais, com 12 - ultrapassou o jamaicano Usain Bolt, que tem 11 medalhas, em Doha-2019. O recorde foi batido 10 meses após ter sido mãe.

Por fim, o ugandense Joshua Cheptegei, recordista mundial da prova, não decepcionou e levou o ouro nos 5 mil metros masculino com o tempo de 12min58s15. A prata ficou com Mohamed Ahmed, do Canadá, com 12min58s61. O bronze foi para Paul Chelimo, dos Estados Unidos, com 12min59s05. Cheptegei já havia sido prata nos 10 mil metros.

Últimas