Tóquio 2020

Olimpíadas COI promete Olimpíada mesmo sob estado de emergência

COI promete Olimpíada mesmo sob estado de emergência

Governo do Japão ampliou nesta sexta-feira medidas de restrições para conter pandemia do novo coronavírus

Reuters - Esportes
Dirigentes estão confiantes em segurança sanitária dos Jogos Olímpicos

Dirigentes estão confiantes em segurança sanitária dos Jogos Olímpicos

Nicolas Datiche/Reuters - 21/5/2021

Os Jogos Olímpicos Tóquio 2020 acontecerão mesmo que a cidade japonesa esteja sob estado de emergência por causa da covid-19, disse uma autoridade olímpica de alto escalão nesta sexta-feira (21). O integrante do COI sublinhou os desafios enfrentados pelos organizadores da competição afetada pela pandemia.

A nove semanas para o início dos Jogos, o COI (Comitê Olímpico Internacional) procurou acalmar os temores do Japão de que o evento represente um fardo ao sistema médico já pressionado pela pandemia ao final de um encontro virtual de três dias para debater os preparativos.

Indagado se a Olimpíada acontecerá mesmo que Tóquio esteja sob estado de emergência, o vice-presidente do COI, John Coates, que supervisiona os preparativos, respondeu: "Certamente que sim".

Ampliação do estado de emergência

O Japão ampliou nesta sexta o alcance de um estado de emergência para cobrir a ilha de Okinawa. Autoridades aprovaram mais duas vacinas contra o coronavírus para acelerar uma campanha de inoculação atrasada.

As vacinas recém-aprovadas da Moderna e da AstraZeneca se somarão ao imunizante desenvolvido pela Pfizer e a BioNTech, em uma campanha iniciada em meados de fevereiro.

Coates acrescentou que "todos os planos que temos à disposição para garantir a segurança e a proteção dos atletas e do povo do Japão se baseiam nas piores circunstâncias possíveis".

Coates, que concedeu entrevista coletiva ao final da reunião, se mostrou confiante com a segurança sanitária e disse que mais de 80% dos ocupantes da Vila Olímpica serão vacinados antes de 23 de julho, quando a Olimpíada começa. Ele ainda disse que pessoal médico adicional será parte das delegações olímpicas estrangeiras para apoiar as operações médicas e a implantação das contramedidas de Covid-19 nos Jogos.

O Japão só vacinou 4,1% de sua população, de acordo com um monitor global da Reuters, a taxa mais lenta entre os maiores e mais ricos países do mundo, e só cerca de metade de seu corpo médico já completou as inoculações.

Contrastando com algumas outras nações do G7 que estão começando a abandonar as medidas de lockdown antipandemia, a maior parte do Japão continua submetida a restrições de emergência em meio a uma quarta onda de infecções.

Coates disse esperar que a aceitação pública dos Jogos aumente à medida que mais pessoas se vacinem.

"Mas se não aumentar, nossa posição é que só temos que seguir com nosso trabalho. Nosso trabalho é fazer com que os Jogos sejam seguros para todos os participantes e todo o povo do Japão" disse Coates.

Craques querem Olimpíada, mas clubes podem atrapalhar planos

Últimas