Tóquio 2020

Olimpíadas Brasileira da esgrima lamenta eliminação: 'Derrota que faz mal'

Brasileira da esgrima lamenta eliminação: 'Derrota que faz mal'

Nathalie Moellhausen foi eliminada logo em sua estreia na disputa da espada nos Jogos Olímpicos de Tóquio e já fala em Paris 2024

Agência Estado - Esportes
A ítalo-brasileira Nathalie Moellhausen caiu logo na estreia nos Jogos Olímpicos de Tóquio

A ítalo-brasileira Nathalie Moellhausen caiu logo na estreia nos Jogos Olímpicos de Tóquio

Miriam Jeske/COB/Divulgação - 24.07.2021

Aposta de medalha para o Brasil, a esgrimista Nathalie Moellhausen foi eliminada logo em sua estreia na disputa da espada nos Jogos Olímpicos de Tóquio, neste sábado (pelo horário de Brasília). A atleta brasileira, nascida na Itália, lamentou a queda precoce e disse já pensar nos Jogos de Paris-2024.

"Penso em Paris. Com certeza, não gostei dessa derrota. Quero expressar o trabalho gigante que eu fiz. Veremos. Gostaria de trazer mais medalhas para o Brasil", afirmou a atleta de 35 anos.

Nathalie desembarcou na capital japonesa com status de favorita por ser a atual quarta colocada do ranking e ter se sagrado campeã mundial em 2019. No entanto, ela não teve sorte no sorteio. E enfrentou na estreia a italiana Rosella Fiamingo, atual vice-campeã olímpica. A derrota aconteceu no golden point, o momento de desempate da disputa.

Rossella Fiamingo contra Nathalie Moellhausen

Rossella Fiamingo contra Nathalie Moellhausen

Mohd RASFAN / AFP

"É um momento difícil. Sei que eu dei o meu melhor. Sabendo que a adversária era uma das mais complicadas. Me preparei ao máximo para ganhar dela. Com certeza, é uma derrota que faz mal, mas passará", comentou a esgrimista.

Nathalie já está acostumada a enfrentar a italiana e fez um duelo equilibrado do começo ao fim. "Ela é esperta e consegui fazer um jogo com ela que eu nunca fiz. Quando mudei, após os primeiros toques, ela começou a perder o controle. Fiz o que tinha preparado nos últimos dois meses. Depois, ativei as novas estratégias, acreditei até o último toque."

A brasileira nasceu em Milão, é filha de pai alemão e mãe ítalo-brasileira. Ela começou a defender o Brasil em 2014 nas competições. Em 2019, a experiente atleta obteve a maior conquista de sua carreira ao se sagrar campeã mundial em Budapeste, na Hungria, resultado então inédito para a modalidade no Brasil.

Últimas