Tóquio 2020

Olimpíadas Brasil bate Croácia e vai com moral para semifinal do Pré-Olímpico

Brasil bate Croácia e vai com moral para semifinal do Pré-Olímpico

Bruno Caboclo e Rafael Hettsheimer foram destaques da vitória contra donos da casa; time aguarda adversário do mata-mata

Rafael Hettsheimer foi a novidade do Brasil contra a Croácia, em Split, na casa do adversário

Rafael Hettsheimer foi a novidade do Brasil contra a Croácia, em Split, na casa do adversário

Divulgação/CBB

No duelo mais complicado da primeira fase do Pré-Olímpico de Basquete, o Brasil venceu a Croácia por 94 a 67 nesta quarta-feira (30), em Split, na casa do adversário. O resultado garantiu ao time de Bruno Caboclo e Rafael Hettsheimer a primeira colocação do Grupo B e deu moral para a equipe agora na semifinal. Somente o campeão do torneio garante vaga em Tóquio 2020.

A Croácia encerrará a primeira fase nesta quinta, contra a Tunísia, que o Brasil venceu com uma diferença de 26 pontos. Para tirar a classificação da equipe de Aleksandar Petrovic, a Tunísia precisaria vencer e ainda reverter o improvável saldo de cestas.

Os semifinalistas vindos do Grupo B enfrentam os do A — México (já classificado), Alemanha e Rússia — a partir de sábado. O chaveamento então permite que a equipe brasileira volte a enfrentar a croata em uma eventual final, no domingo.

Por essa configuração do torneio, Petrovic tratou de modificar bastante o time em relação à primeira partida. Dos cinco jogadores que iniciaram a partida, somente Caboclo havia começado o jogo anterior. Mas Rafael Luz, Georginho, Leo Meindl e Hettsheimeir fizeram ótima companhia ao ala-pivô e garantiram 45 a 34 no primeiro tempo. Caboclo fez 17 pontos e anotou oito rebotes, enquanto Hettsheimer fez 20 pontos e pegou dois rebotes.

O astro Bojan Bogdanovic, que integrou o time croata só depois da eliminação do Utah Jazz na NBA, tentou acelerar o ritmo da partida no início do terceiro quarto. Mais do que aumentar a própria pontuação, o camisa 44 colocou Mario Hezonja na partida. A partir daí, o Brasil intensificou a marcação, sobretudo, com Caboclo.

Sem perder à frente do placar em momento algum, o time chegou a último período com 20 pontos de vantagem. Por mais que Bogdanovic tenha ameaçado, a equipe soube se comportar bem e ter a paciência típica de Marcelinho Huertas para conseguir a segunda vitória seguida.

Veja 7 astros que estarão nos Jogos Olímpicos Tóquio 2020

Últimas