Tóquio 2020

Olimpíadas Bia Ferreira perde para irlandesa na final e é prata no boxe até 60 kg

Bia Ferreira perde para irlandesa na final e é prata no boxe até 60 kg

Brasileira foi melhor no primeiro assalto, mas foi superada nas parciais seguintes e terminou com o 2º lugar em Tóquio 2020

  • Olimpíadas | Felippe Scozzafave, do R7

Bia Ferreira foi medalha de prata no boxe

Bia Ferreira foi medalha de prata no boxe

Jonne Roriz/COB/Divulgação -08.08.2021

Bia Ferreira é prata em Tóquio 2020! Neste domingo (8), a brasileira foi superada pela irlandesa Kellie Anne Harrington e ficou com o vice no boxe na categoria até 60 kg.

LEIA MAIS: Bia treinava em frente ao espelho para fazer história no boxe

A brasileira, de 28 anos, prometeu estar de volta aos Jogos Olímpicos em Paris 2024. "Saí do Brasil com o objetivo de subir no pódio, aqui estou, queria o lugar mais alto, trocar a cor da medalha, mas estou muito feliz com esta prata, que tem sabor de ouro. Estar em uma final olímpica é para poucas", disse a brasileira, única sul-americana a disputar uma final olímpica.

Emocionada, Bia aproveitou para agradecer a apoio recebido nos últimos cinco anos, que foram de preparação ára Tóquio. "Tenho de agradecer uma equipe inteira, patrocinadores, amigos e minha família. Sou uma Bia mais madura, diferente. Não termina aqui, Paris é logo ali", disse a boxeadora, que analisou a derrota.

Logo no primeiro assalto, a baiana de 28 anos já mostrou toda a sua capacidade e, com mais iniciativa, venceu por 3 a 2. Na segunda parcial, a irlandesa se recuperou e, com agressividade, deixou o duelo empatado. No terceiro e decisivo round, Harrington foi mais uma vez melhor e confirmou a vitória.

No caminho até a final, Bia venceu três atletas por decisão unânime dos árbitros: Shih-Yi Wu, de Taipei, Raykhona Kodirova, do Uzbequistão, além da finlanesa Mira Potkonen na semifinal.

Com a medalha no peito, ela se junta a Hebert Conceição, que subiu no lugar mais alto do pódio neste sábado (7) ao derrotar o ucraniano Oleksandr Khyzhniak, na categoria até 75 kg, pelo torneio masculino. Dias antes, Abner Teixeira (até 91 kg) foi bronze. 

Bia Ferreira (de azul) na final olímpica do boxe

Bia Ferreira (de azul) na final olímpica do boxe

Ueslei Marcelino/Reuters - 08.08.2021

Antes da Olimpíada, a baiana havia subido no pódio em 29 das 30 competições que disputou nos últimos cinco anos.

Daniel Alves, medalha de ouro: veja as 42 conquistas do 'papa-títulos'

Últimas