Tóquio 2020

Olimpíadas Barros valoriza espírito do skate e classifica medalha como ‘souvenir’

Barros valoriza espírito do skate e classifica medalha como ‘souvenir’

Atleta, de 26 anos, fez questão de ressaltar amizade entre competidores em no Ariake Urban Sports, em Tóquio 2020

  • Olimpíadas | André Avelar, do R7, em Tóquio, no Japão

Barros ficou com prata na estreia do skate no programa olímpico

Barros ficou com prata na estreia do skate no programa olímpico

Gaspar Nóbrega/Divulgação/COB

Multicampeão dos principais torneios de skate park do mundo, Pedro Barros, claro, comemorou a prata desta quinta-feira (5) em Tóquio 2020. Mas o atleta brasileiro preferiu valorizar o espírito da competição que estreou nos Jogos Olímpicos e classificou a medalha como um souvenir da capital japonesa.

O catarinense, de 26 anos, mostrou uma visão de mundo completamente diferente do que se espera em um ambiente competitivo como os torneios olímpicos. Ainda assim, a lembrancinha ficará bem guardada junto de outras tantas medalhas.

“Estou muito feliz com a conquista, mas a medalha não deixa de ser um souvenir. Essa medalha não deixa de ser um objeto material, de expectativa que pessoas criam”, disse Barros, na área de entrevistas do Ariake Urban Sports Park, um legado olímpico para Tóquio.

Barros começou muito cedo no esporte e, logo com 14 anos, assombrou o mundo do skate ao conquistar o terceiro lugar no X-Games de Los Angeles 2009 — nas “Olimpíadas dos esportes radicais”, como o torneio também é conhecido, ele faturou outras nove medalhas. Em campeonatos mundiais, foram três medalhas.

No pódio de Tóquio 2020, o brasileiro (86,14) só ficou atrás de Keegan Palmer (95,83), da Austrália. Cory Juneau (84,13) ficou com a terceira colocação. Luiz Francisco (83,14), o Luizinho, ficou na quarta colocação e Pedro Quintas (38,47) foi o oitavo.

Barros comemorou medalha com Quintas, Luizinho e membros do skate brasileiro

Barros comemorou medalha com Quintas, Luizinho e membros do skate brasileiro

Gaspar Nóbrega/Divulgação/COB

O atleta atribui a mentalidade de respeito ao esporte justamente por tudo que já viveu em diferentes torneios. Junto da sua família e das pessoas mais próximas do skate, ele inclusive ajudou o australiano Palmer no começo da carreira dele.

“Hoje é um dia mágico para o esporte. Diferentemente do que vocês podem ver, mostramos amor e respeito um pelo outro. Esses são alguns dos meus melhores amigos e é um prazer dividir o pódio com eles”, disse.

Com a prata de Barros, o Brasil alcançou 16 medalhas até agora nesta Olimpíada: quatro de ouro, quatro de prata e oito de bronze.

Do acidente assustador ao bronze: Sky Brown impressiona em Tóquio

Últimas