Logo R7.com
Logo do PlayPlus
R7 Esporte - Notícias sobre Futebol, Vôlei, Fórmula 1 e mais
Publicidade

Brasil perde para a Polônia na disputa de bronze da VNL 2024

Brasil consegue recuperação, mas perde para a Polônia no tie-break e fica em quarto lugar na Liga das Nações feminina

Olimpíada Todo Dia

Olimpíada Todo Dia|Do R7


Quarto lugar na VNL 2024. O Brasil perdeu para a Polônia por 3 sets a 2 (25/21, 26/28, 25/21, 19/25 e 15/xx), na manhã deste domingo (23), em Bangkok, na Tailândia, e não conseguiu um lugar no pódio da Liga das Nações de vôlei feminino. Agora, a seleção volta para casa para seguir com a preparação para buscar o tricampeonato olímpico em Paris-2024.

O Brasil encerra a participação na Liga das Nações de vôlei feminino com 13 vitórias e duas derrotas. A equipe fez uma histórica campanha invicta na primeira fase, inédita na história da competição, venceu a dona da casa Tailândia nas quartas de final e perdeu para o Japão em um verdadeiro jogaço, que só foi decidido no tie-break, pela semifinal.

Macris foi a novidade na escalação titular contra a Polônia. Além dela, também jogaram Gabi, Carol, Rosamaria, Ana Cristina, Thaisa e Nyeme (L). Assim como aconteceu na semifinal, Júlia Bergmann entrou no lugar de Ana Cristina ainda no primeiro set. Ana voltou ao jogo na segunda parcial como oposta, no lugar de Rosamaria. Roberta entrou no terceiro set.

Gabi foi a maior pontuadora do Brasil na partida, com 22 pontos, sendo 19 de ataque, dois de bloqueio e um de saque. Júlia Bergmann também foi essencial, em especial no quarto set, marcando 20 pontos. Carol fez 12 pontos e Ana Cristina anotou dez, enquanto Thaisa e Rosamaria marcaram oito e cinco, respectivamente. Pela Polônia, Stysiak e Lukasik fizeram 19 pontos cada.

Publicidade

Como foi o jogo

Publicidade

O jogo começou com muito equilíbrio, com as duas equipes trocando pontos. O Brasil se destacou nos bloqueios e, após 6/6, a equipe desgarrou do placar e abriu 14/11. No entanto, após um momento de desestabilidade brasileiro, a Polônia marcou seis pontos seguidos e virou para 17/14.
A equipe europeia permaneceu na frente e conseguiu a vitória no set por 25/21.

Júlia Bergmann, que entrou em quadra no lugar de Ana Cristina na primeira parcial, voltou como titular no segundo set. Assim como no set inicial, houve trocas de pontos no início e o Brasil conseguiu abrir em 13/10. A Polônia virou, mas o Brasil retomou a dianteira e chegou a 18/14. No entanto, a seleção não sustentou a vantagem e viu a equipe europeia ter 23/21.

Publicidade

Com o momento ruim, Zé Roberto colocou Ana Cristina de volta em quadra no lugar de Rosamaria, para jogar como oposta. Com um ace da própria Ana, o Brasil chegou ao empate. A equipe salvou dois set points, chegou à virada com Gabi muito acionada e ganhou por 28/26. Zé manteve Ana Cristina e Júlia Bergmann em quadra no terceiro set.

A Polônia abriu 3/0 na terceira parcial, mas o Brasil chegou à virada e teve 6/4. No entanto, a seleção verde-amarela não conseguiu desgarrar do placar. A Polônia manteve-se no set e retomou a dianteira na sequência, abrindo após o 14/14. Mesmo com Roberta no lugar de Macris, a equipe europeia conseguiu cinco pontos de frente e administrou a vantagem até fechar em 25/21.

A volta para o jogo

O quarto set foi o "comeback" brasileiro. O Brasil marcou os dois primeiros pontos da parcial, mas a Polônia tomou a dianteira e, com uma sequência de bloqueios, rapidamente abriu cinco pontos de vantagem, em 11/6. Foi também com pontos de bloqueio que o Brasil diminuiu a diferença e encostou no placar.

A partir daí, Júlia Bergmann também foi muito acionada e fez a diferença nas viradas de bola e contra-ataques. O Brasil chegou ao empate em 13/13 e pareceu ter colocado a Polônia contra as cordas. O bom momento brasileiro se manteve ao longo da parcial e, após excelente passagem de Gabi no saque, a vitória na parcial se encaminhou até o 25/19.

O tie-break teve um início equilibrado. A Polônia abriu após o 3/3 e manteve-se a frente para não sair mais. O Brasil errou muitos saques e pecou nas viradas de bola, o que não ajudou em uma reação. A Polônia chegou a 10/5. A seleção brasileira não conseguiu se restabelecer e parou nos bloqueios adversários, o que fez com que perdesse por 15/9, terminando em quarto lugar na VNL.

Últimas

Utilizamos cookies e tecnologia para aprimorar sua experiência de navegação de acordo com oAviso de Privacidade.