NFL admite ter errado ao 'não ouvir' jogadores sobre racismo

Comissário da NFL diz que liga deveria ter 'ouvido antes' os atletas; declaração responde a vídeo dos jogadores desta semana, mas não cita Kaepernick

Atletas apoiam protestos contra racismo

Atletas apoiam protestos contra racismo

Reprodução / Facebook NFL

O comissário da NFL, Roger Goodell, publicou um vídeo na noite da sexta-feira (6) admitindo que a liga de futebol americano errou ao "não ouvir mais cedo" os jogadores sobre o racismo.

A declaração da principal autoridade da liga responde a outro, organizado por diversos atletas negros, que se somaram aos protestos contra o racismo e a violência policial e cobraram da NFL um posicionamento.

O vídeo não cita o ex-quarterback do San Francisco 49ers, Colin Kaepernick, que liderou, em 2016, protestos em jogos da NFL, ajoelhando-se durante a execução do hino nacional dos EUA. Kaepernick ficou sem contrato no ano seguinte e não joga profissionalmente desde então.

Em fotos: Boicotado pela NFL, mas amado por artistas: Saiba quem é Kaepernick