Coronavírus

Esportes MP-SP pede 100 salários mínimos a Gabigol por festa em cassino

MP-SP pede 100 salários mínimos a Gabigol por festa em cassino

Proposta de transação penal, apresentada nesta quinta-feira (18) pela Promotoria foi entregue ao Tribunal de Justiça do estado

  • Esportes | Cesar Sacheto, do R7

MP-SP pede que Gabigol pague multa por participar de festa em cassino

MP-SP pede que Gabigol pague multa por participar de festa em cassino

Divulgação/Flamengo

O MP-SP (Ministério Público de São Paulo) solicitou à Justiça, nesta quinta-feira (18), que o atacante Gabigol, do Flamengo, pague 100 salários mínimos por crime contra a saúde pública, após ter sido flagrado em aglomeração dentro cassino no Itaim Bibi, na zona sul de São Paulo.

Na madrugada de 14 de março, policiais civis, militares, guardas civis metropolitanos, agentes sanitários e fiscais da Prefeitura de São Paulo, em operação conjunta e de acordo com as diretrizes do Comitê Gestor de Combate à Pandemia do Coronavírus do estado, constararam a existência de festa clandestina.

"Em face da prática de crime contra a saúde pública, foi ofertada a proposta de transação penal. Caso ele não aceite pagar, será processado. Quanto a contravenção de jogo de azar, terá diligências para apuração", disse a promotora de justiça Regiane Vinche Zampar Guimarães Pereira.

Além do artilheiro da equipe rubro-negra carioca, a promotoria também solicitou o pagamento de prestação pecuniária a outras 20 pessoas. Os valores variam entre meio e 40 salários mínimos. Cerca de 200 pessoas participavam do evento no momento em que as autoridades chegaram ao local. Entre elas, o cantor MC Gui.

O MP-SP também solicitou à Polícia Civil a instauração de inquérito para investgar delitos de lavagem de dinheiro e quadrilha, "eis que a estrutura do local, consistente em diversas mesas de carteado e roletas, a quantidade de máquinas de cartão de crédito e a pouca quantidade de dinheiro (cerca de dois mil reais) apreendidos, dentre outros elementos, evidenciam organização estável e que o numerário auferido no jogo estava sendo contabilizado de forma dissimulada como proveniente do restaurante existente no local".

Os promotores também pediram a identificação do proprietário do imóvel e dos responsáveis pelo estabelecimento comercial, assim como os depoimentos dos demais funcionários da casa, além da quebra de sigilo bancário, perícia contábil na empresa sediada no local e o esclarecimento da movimentação financeira realizada por intermédio dos cartões de crédito dos frequentadores no dia dos fatos.

Fla não pune atleta

A diretoria do Flamengo decidiu não penalizar o jogador. Gabigol já se apresentou no centro de treinamento Ninho do Urubu, na zona oeste do Rio, e treinou normalmente junto com os outros integrantes do elenco.

Flagra no cassino e festinhas: as polêmicas de Gabigol na pandemia:

Últimas