Revezamento da tocha e mais: como coronavírus afeta mundo esportivo

A covid-19 fez organizadores cancelarem a tradicional etapa da tocha olímpica na Grécia, corridas automobilísticas e maratonas 

Etapa da Grécia de revezamento da tocha olímpica foi cancelada devido ao coronavírus

Etapa da Grécia de revezamento da tocha olímpica foi cancelada devido ao coronavírus

REUTERS/Costas Baltas (13.3.2020)

A pandemia de coronavírus tem alterado significamente a vida de muitas pessoas em todo o mundo, com restrições de voos, entradas em países, cancelamentos de eventos e isolamento domiciliar. Não é diferente no mundo esportivo, já que várias competições foram canceladas ou suspensas. 

A começar pela simbólica etapa grega do revezamento da tocha olímpica para os Jogos de Tóquio, que foi cancelada nesta quinta-feira. 

O Comitê Olímpico Grego (COH) afirmou que, devido aos últimos acontecimentos relacionados à propagação do vírus SARS-CoV-2, decidiu, em associação com o Ministério da Saúde grego, adotar essas medidas para contribuir para a contenção da pandemia.

Apesar disso, o comitê organizador da Olimpíada de Tóquio manteve os jogos a partir de 24 de julho e acrescentou, em comunicado, que continuará trabalhando em estreita colaboração com todas as organizações envolvidas no evento, incluindo o COH e o Comitê Olímpico Internacional (COI).

"Tóquio 2020 trará a chama olímpica ao Japão e, de acordo com a política de contramedidas definida pelo governo nacional, trabalharemos em estreita colaboração com todos os municípios e organizações relacionadas no Japão para garantir que o revezamento da tocha olímpica comece com segurança no dia 26 de março", acrescenta o comunicado.

Apesar das mensagens do COI e dos organizadores, a realização dos Jogos Olímpicos e Paraolímpicos nas datas previstas este ano - 24 de julho a 9 de agosto e 25 de agosto a 6 de setembro, respectivamente - foi colocada em xeque pela pandemia do coronavírus, que já infectou mais de 129 mil pessoas e matou quase 5 mil no mundo todo.

Competições pelo mundo

Os efeitos do coronavírus no esporte nos Estados Unidos levaram mais quatro organizadores de evento a suspender ou cancelar competições.

O presidente do Clube Nacional de Golfe Augusta, Fred Ridley, disse em comunicado que o Masters 2020 será adiado até novo aviso devido ao aumento dos casos de covid-19. Da mesma forma, confirmou a suspensão do Torneio Nacional Feminino, assim como a final nacional do torneio Drive, Chip e Putt.

Enquanto isso, os responsáveis pela Fórmula Indy anunciaram em um comunicado que o Grande Prémio de St. Petersburgo, na Flórida, foi definitivamente cancelado por causa do vírus SARS-CoV-2. A princípio, a ideia era realizar a corrida com portões fechados.

A Nascar, que para este fim de semana havia previsto disputar, sem público, a corrida no Autódromo de Atlanta, anunciou a suspensão das atividades.

O atletismo também não conseguiu escapar ao efeito da covid-19, e os organizadores da Maratona de Boston anunciaram que a tradicional corrida de longa distância foi remarcada para 14 de setembro.

No Uruguai, a autoridade de futebol suspendeu por tempo indeterminado todos os jogos oficiais após o anúncio dos primeiros quatro casos de coronavírus no país.

Nesta semana, a Fórmula-1 anunciou o adiamento dos GPs do Bahrein e Vietnã. O GP da Austrália já havia sido suspenso. Assim como, a NBA, principal liga de basquete dos Estados Unidos. 

Na América do Sul, a Comenbol suspendeu os jogos da Libertadores da América previstos para a semana que vem.

No Campeonato Paulista, as partidas marcadas para este fim de semana na cidade de São Paulo serão realizadas com portões fechados. Entre os jogos afetados está o clássico entre São Paulo e Santos, deste sábado. O Tricolor paulista, mandante da partida, prometeu reembolsar quem já tiver comprado ingressos.

Coronavírus: como a pandemia está afetando o mundo esportivo