Mais Esportes No jogo dos "independentistas", Barça bate Athletic e conquista Copa do Rei

No jogo dos "independentistas", Barça bate Athletic e conquista Copa do Rei

Barcelona (Espanha), 30 mai (EFE).- O Barcelona passou com tranquilidade pelo Athletic Bilbao neste sábado, vencendo por 3 a 1 a final da Copa do Rei da Espanha e deu mais um passo para a sonhada Triplíce Coroa, que pode vir daqui uma semana em caso de vitória na decisão da Liga dos Campeões da Europa, contra a Juventus. O jogo foi marcado pela vaia dos torcedores das duas equipes, de comunidades autônomas com desejos independentistas, antes de a bola rolar. A melodia da música oficial do país sequer pôde ser ouvida, já que além do apupo, várias canções pró-Catalunha e pró-País Basco, foram entoadas. Com a bola rolando, graças a um golaço com seu "selo de qualidade", Lionel Messi abriu o placar aos 19 minutos do primeiro tempo. Aos 36, após passe de Luis Suárez, Neymar ampliou, fazendo trio de ataque 'blaugrana' chegar aos 119 gols na temporada, superando o desempenho de Cristiano Ronaldo, Karim Benzema e Gonzalo Higuaín em 2011/2012. O camisa 10 mais famoso da atualidade não estava satisfeito e foi atrás de marcar mais uma vez, em conclusão que veio depois de trama iniciada por Neymar, e que teve assistência de Daniel Alves, aumentando ainda mais a marca do poderoso setor ofensivo do Barça. Vencedor do já encerrado Campeonato Espanhol, o time comandado por Luis Enrique terá apenas mais um compromisso na temporada, a final da Liga dos Campeões da Europa contra a Juventus. Caso leve a melhor, obterá a Triplíce Coroa, o que já conseguiu na temporada 2008/2009. Esta é a 27ª vez na história que o Barça conquista a Copa do Rei, ampliando a vantagem como maior campeão do torneio, justamente para o Athletic Bilbao, que foi levantou a taça em 22 oportunidades, a última em 1984. O título do time catalão não muda o panorama de vagas continentais da Espanha, mas o Athletic Bilbao, com a derrota, perde a chance de ir diretamente à fase de grupos da Liga Europa, que terá o Villarreal. A equipe basca, por sua vez, entrará na terceira fase preliminar da competição. As escalações das duas equipes para hoje eram esperadas pela dúvida quanto a presença de Luis Suárez, que passou a semana tratando problema muscular, no Barcelona; e a solução do técnico Ernesto Valverde, do Athletic, para a lateral-direita, em que Unai Bustinza foi lançado no lugar de Óscar de Marcos, que está suspenso. O momento mais intenso da decisão aconteceu antes de a bola rolar, quando os jogadores de ambos os times se perfilaram para a execução do hino nacional espanhol e, das arquibancadas, só era possível ouvir vaias de torcedores de Athletic e Barça. Os dois finalistas da Copa do Rei pertencem a comunidades autônomas, que mantêm forte sentimento separatista, por isso, cânticos independentistas foram ecoados enquanto a canção oficial do país era tocada no estádio. Na sexta-feira, o vice-presidente do Barcelona, Carles Vilarrubí chegou a revelar que o secretário de estado de segurança, Francisco Martínez Vázquez fez ameaça, via carta, diante da ameaça de manifestações como as que acabaram acontecendo. Quando a bola rolou, a temperatura se manteve elevada, com o Athletic se mostrando agressivo, inclusive dando susto, quando Williams quase tomou bola de Ter Stegen dentro da área aos 9. No lance seguinte, Neymar marcou após passe de Messi, mas a arbitragem anulou o lance, marcando impedimento do brasileiro. Pouco depois, aos 19, Messi resolveu sozinho, ao dominar a bola no lado direito do ataque, se livrar de quatro marcadores com muito estilo, e fuzilar de perna esquerda para vencer também o goleiro Herrerín, abrindo o placar da decisão. O Barça esteve a centímetros de empatar aos 25, quando Suárez arrancou e cruzou para o meio da área em busca de Neymar, que conseguiu tocar de primeira, mas parou em arrojada defesa do goleiro do Athletic, que ainda fez grande intervenção no minuto seguinte, em finalização de Piqué. Não demorou e o time catalão aumentou a vantagem, quando a conexão Suárez-Neymar enfim deu certo. Aos 36, o uruguaio serviu da direita e o brasileiro só precisou rolar para marcar o 119º gol do trio de ataque na temporada, se tornando o mais poderoso da história do futebol espanhol. Acuado até então, o Athletic só conseguiu levar perigo aos 40 minutos, quando Alba perdeu bola, Iraola levantou e Williams bateu de primeira, acertando o travessão do goleiro alemão Ter Stegen. Antes do fim da etapa inicial, Messi ainda acertou bela cobrança de falta, parando em defesa de Herrerín. No segundo tempo, o time basco tentou manter a postura da parte final dos primeiros 45 minutos, mas mostrava dificuldade para conseguir criar chances claras de gol, enquanto o Barça se postava bem no campo defensivo, esperando para sair em alta velocidade. Aos 10, o Camp Nou reverenciou o meia Xavi, que entrou no lugar de Iniesta para iniciar a última partida no estádio em que se consagrou como um dos maiores jogadores de sua geração. No minuto seguinte foi a vez de Iraola deixar o gramado e se despedir do Athletic após 510 partidas, já que seu contrato chega ao fim. A diferença no placar e na qualidade entre as equipes deixou o jogo morno, até que aos 28 minutos do segundo tempo, Neymar lançou para Daniel Alves que cruzou para o meio da área. Messi se aproveitou do cochilo da zaga, se antecipou e balançou as redes pela segunda vez. No único momento de alegria para o torcedor do Athletic, aos 34 minutos do segundo tempo, Williams se aproveitou de cruzamento da esquerda de Ibai Gómez, venceu Piqué pelo alto e testou no canto de Ter Stegen, marcando o gol de honra de sua equipe. Nos instantes finais da decisão, Neymar levou os jogadores do time basco a loucura ao tentar dar uma carretilha para encobrir jogador rival. Os atletas 'rojiblancos' foram para cima do brasileiro, que acabou sendo amparado por Xavi. Por causa da contundência na bronca no camisa 11, Aduriz recebeu amarelo. Ficha técnica. Athletic Bilbao: Herrerín; Bustinza, Etxeita, Laporte e Balenziaga; Iraola (Susaeta), San José, Beñat (Gómez) e Rico (Iturraspe); Williams e Aduriz. Técnico: Ernesto Valverde. Barcelona: Ter Stegen; Daniel Alves, Piqué, Mascherano e Alba (Mathieu); Busquets, Iniesta (Xavi) e Rakitic; Messi, Suárez (Pedro) e Neymar. Técnico: Luis Enrique. Árbitro: Carlos Velasco Carballo, auxiliado por Roberto Alonso e Juan Carlos Yuste. Gols: Williams (Athletic Bilbao); Messi (2) e Neymar (Barcelona). Cartões amarelos: Iraola, Balenziaga e Aduriz (Athletic Bilbao); Piqué, Neymar e Busquets (Barcelona). Estádio: Camp Nou, em Barcelona (Espanha). EFE bg/rd