Mais Esportes Demissão de técnicos negros expõe fracasso da política racial na NFL

Demissão de técnicos negros expõe fracasso da política racial na NFL

Cinco dos oito treinadores afrodescentes e latinos da liga perderam seus cargos antes da fase eliminatória do futebol americano, que começa sábado

Playoffs NFL

Lynn (Charges) e Joseph (Broncos): um se manteve e outro foi demitido na NFL

Lynn (Charges) e Joseph (Broncos): um se manteve e outro foi demitido na NFL

Ron Chenoy/Reuters - 30.12.2018

Principal liga de futebol americano do mundo, a NFL se prepara para a disputa dos playoffs a partir deste sábado (5) não sem uma importante questão para lidar. Ao final da temporada regular, simplesmente cinco técnicos negros foram demitidos ao longo do ano. Além dos naturais problemas étnicos, as decisões dos clubes expõe o fracasso da política racial no campeonato.

O que para muitos pode ser só coincidência chama atenção se levado em conta a representatividade dos atletas negros dentro da própria liga. Segundo o jornalista do Boston Globe, Ben Volin, especializado na cobertura do New England Patriots, um dos principais times do esporte mundial, os negros somam 70% dos atletas, em cada um dos 32 times —Antonio Brown, Julio Jones e Le´Veon Bell, todos negros, estiveram entre os top-5 em 2018.

Atletas negros representam 70% dos jogadores da NFL

Atletas negros representam 70% dos jogadores da NFL

Chuck Cook/Reuters - 23.12.2018

Por outro lado, no comando do banco de reservas são apenas oito técnicos “de cor”, como os Estados Unidos se referem, em uma tradução literal: sete negros e um latino. Além do técnico principal os times contam com coordenadores ofensivos e defensivos além de diversos especialistas. Mesmo que ainda pequena, a marca de oito técnicos empata com a maior da liga, obtida em 2011.

Já de olho na política racial, a NFL decidiu em 2003 adotar o que ficou conhecida como “Regra Rooney”. Nesse documento, com o nome do antigo dono do Pittsburgh Steelers, um homem branco que espalhou a ideia entre os dirigentes, ficou prometida a inclusão de minorias em entrevistas para os cargos de técnico e coordenadores. Com o passar dos anos, mulheres também foram inclusas no processo. 

Atualmente, entre os técnicos negros e latinos, apenas Anthony Lynn (Los Angeles Chargers), Mike Tomlin (Pittsburgh Steelers) e Ron Rivera (Carolina Panthers) resistiram aos seus cargos. Todos eles têm grande histórico com seus times e dificilmente perderiam o emprego nesta temporada.

Leia mais: Boicotado pela NFL, mas amado por artistas: Saiba quem é Kaepernick

A NFL não se pronunciou oficialmente sobre a questão, mas a imprensa norte-americana em parte tenta explicar que o movimento de demissões é comum em seus esportes mais tradicionais se o clube não alcançou o objetivo esperado. Se cinco negros perderam o emprego nesta temporada, três treinadores brancos tiveram o mesmo destino.

Por diferentes motivos, Hue Jackson (Cleveland Browns), Vance Joseph (Denver Broncos), Todd Bowles (New York Jets), Steve Wilks (Arizona Cardinals) e Marvin Lewis (Cincinnati Bengals) perderam seus empregos, sendo os quatro últimos na reta final da fase de classificação. Nenhum desses times alcançou a fase eliminatória da competição.

Protestos no hino nacional

O debate racial está longe de ser uma novidade nos esportes americanos. Insatisfeito com a política racial nos Estados Unidos, Colin Kaepernick, então um dos principais jogadores do San Francisco 49ers, comprou uma briga que envolveu até mesmo o presidente Donald Trump. O quarterback liderou o protesto em que jogadores ficavam ajoelhados diante da execução do hino nacional.

Apesar de sucessivas mortes de negros pela polícia americana, Trump atacou publicamente Kaepernick e, mais do que isso, prometeu medidas contra a NFL se continuasse permitindo tais protestos durante o momento de grande exibição na TV. Mais uma vez, coincidência ou não, as equipes empenharam um boicote contra o jogador, que desde 2016 segue desempregado.

Os playoffs começam neste sábado com Indianapolis Colts x Houston Texans e Seattle Seahawks x Dallas Cowboys. No domingo, se enfrentam Los Angeles Charges x Baltimore Ravens e Philadelphia Eagles x Chicago Bears. Kansas City Chiefs, New England Patriots, New Orleans Saints e Los Angeles Rams têm vaga garantida na próxima fase.

Curta a página de Esportes do R7 no Facebook

Michael Schumacher completa 50 anos ainda cercado de mistérios