caso daniel
Lance Testemunha diz ter ouvido Cristiana Brittes: 'Não deixe matar em casa'

Testemunha diz ter ouvido Cristiana Brittes: 'Não deixe matar em casa'

Vídeos das audiências das testemunhas do caso da morte do jogador Daniel foram divulgados nesta quinta-feira (21) pela Justiça do Paraná

Caso Daniel

Família Brittes está envolvida na morte do jogador Daniel

Família Brittes está envolvida na morte do jogador Daniel

Lance

A Justiça do Paraná divulgou nesta quinta-feira (21) os vídeos das audiências do que tratam do assassinato do jogador Daniel Correa Freitas. Uma das testemunhas, afirmou ter ouvido Cristiana Brittes, mulher de Edison Brittes, réu confesso pedir a filha do casal, Alana Brittes, que não deixasse o pai matar o atleta dentro de casa.

– Daí a Alana olhou pra ela (Cristiana) e falou: 'Mãe você sabe como é o pai', e saiu – disse a testemunha.

Questionada se considerava a frase de Cristiana um incentivo ao crime, a testemunha isentou a acusada.

– No meu ponto de vista, não. Eu sentei lá. Fiquei chocada. Sem saber o que fazer– respondeu.

Veja mais: Suspeito diz que assassinou meia Daniel para defender a esposa

Uma outra testemunha relatou que dois homens presentes na casa dos Brittes tentaram impedir as agressões ao jogador e que nenhuma mulher tentou evitar o espancamento. Ela disse ainda que ouviu gritos de socorro de Daniel quando ainda estava dentro do quarto.

- A gente nem... a Stephany foi tentar chamar o Samu, e o Edison (Brittes) mandou todo mundo fazer nada e ficar quieto – disse.

Dez testemunhas de acusação e três informantes foram ouvidos pela juíza Luciani Martins de Paula, no fórum de São José dos Pinhais, na Região Metropolitana de Curitiba. As audiências foram realizadas entre segunda e quarta-feira.

A magistrada marcou a retomada dos depoimentos para o mês de abril.

O processo da morte de Daniel tem sete réus: Edison Luiz Brittes Júnior, que confessou ter matado o jogador, Cristiana Rodrigues Brittes,  mulher de Edison, Allana Emilly Brittes, filha do casal, Eduardo Henrique Ribeiro da Silva, Ygor King, David Willian Vollero Silva e Evellyn Brisola Perusso.

Apenas Evellyn responde em liberdade.