Seleção brasileira

Lance Seleção feminina de futebol ganha música oficial na Olimpíada; ouça

Seleção feminina de futebol ganha música oficial na Olimpíada; ouça

Gabi Fernandes e Charles Gavin criaram a canção 'Brasil chegou' que vai embalar a campanha de Marta, Formiga e companhia 

Lance
  • Lance | por Lance

A cantora Gabi Fernandes

A cantora Gabi Fernandes

Lance

A Seleção Brasileira feminina fará sua estreia nos Jogos Olímpicos nesta quarta-feira (21), diante da China, embaladas por um novo ritmo tanto dentro quanto fora de campo. "Brasil Chegou", na voz de Gabi Fernandes, será a canção oficial das comandadas de Pia Sundhage para a competição. Na contagem regressiva para o confronto, que iniciará às 5h (de Brasília), a intérprete não esconde a dimensão de retratar uma equipe aguerrida e extremamente musical.

- A missão é gigantesca. Tem a união das jogadoras, o jeito descontraído da Pia também. Ela gosta de tocar violão, já viralizou um vídeo seu cantando e tocando Alceu Valença (a música "Anunciação). Quando conversamos, trocamos uma energia muito grande. Na mente e na voz ela é muito emblemática. Pia passou para mim muito da sua história no futebol. Foi uma conversa que contribuiu muito para a canção e também trouxe coisas interessantes para mim - destacou a cantora, que fez este projeto em parceria com o produtor musical Charles Gavin, ex-integrante dos Titãs.

> Marta se diz privilegiada por disputar nova Olimpíada pela Seleção

Gabi recebeu o convite para compor as músicas das Seleções feminina e masculina em janeiro deste ano. Neste intervalo de seis meses, ela e Gavin se reuniram com as respectivas comissões técnicas para elaborar um pouco mais de cada canção.

> Veja quem a Seleção feminina encara nos Jogos Olímpicos

Por um desencontro, a cantora acabou não presenciando o momento no qual Pia Sundhage faz uma participação em "Brasil Chegou".

- Não pude estar com ela no Rio de Janeiro no dia. Mas só de ter esta participação na música que fiz já é uma felicidade muito grande - afirmou a compositora.

Fã declarada de futebol e futevôlei, a autora da música oficial da Seleção feminina já tentou lutar por seu espaço nos gramados.

- Comecei a jogar futebol bem novinha, por volta dos 6, 7 anos, e jogava até mesmo com os meninos neste início. Lembro que vibrava a cada Olimpíada e Copa do Mundo, via a Marta e a Formiga e dizia "quero ser igual a elas quando crescer". Depois, eu disputei em um torneio nos Estados Unidos contra times de diversos países, e o sonho acendeu muito em mim - e, em seguida, recordou como a volta do Brasil ligou um sinal preocupante:

- Ao retornar, foi um choque de realidade. Via a falta de estrutura, uma série de problemas para as jogadoras que lutavam por um espaço aqui. Achei que ia ser complicado. Foi um momento no qual descobri esse dom, essa vontade de tentar uma carreira na música. E agora pude unir a música com o futebol - completou.

Aos seus olhos, o futebol feminino evidencia que tem condições dar um salto ainda mais considerável nos próximos anos.

- Estão crescendo os incentivos, há um apoio maior para que os campeonatos nacionais avancem. As competições femininas vêm mostrando qualidade, o que tem dado muita alegria para mim. Eu me sinto parte disto, pois estou usando a minha voz para ajudar a audiência. - declarou.

A artista, que também tem em seu repertório canções como "Rolo Antigo" e "Prefere Às Escondidas" e compôs a música "O Pai Tá On" em homenagem a Neymar, não esconde sua emoção de ver atletas que acompanha na Seleção feminina embaladas por sua canção.

- Cresci admirando a Formiga, por toda história dela na Seleção Brasileira, sua força muito grande, é uma referência ver a forma como joga até hoje. A Marta, que mais vezes foi eleita melhor do mundo. São duas jogadores que fazem parte da minha vida, eu grudava meus olhos na TV para acompanhá-las na Seleção. E agora vejo tanto elas quanto todas as jogadoras da Seleção ouvindo a música que eu compus. Acordei com vídeo da Marta tocando minha música no banjo. Imagina o que é isso! - destacou.

Gabi Fernandes também falou sobre qual Seleção feminina pretende refletir na letra de "Brasil Chegou".

- Um Brasil de muita luta, de superação. E muito melhor preparado tecnicamente, fisicamente, que apresentou evolução desde a entrada da Pia. Por ter amizade com as meninas, sei o quanto a Pia dá importância para o ambiente dentro e fora de campo, para que tudo dê certo - declarou.

Com expectativa de um ritmo vencedor, a Seleção feminina entra em campo logo mais, às 5h (de Brasília).

Últimas