Lance Por meio de nota oficial, Tandara se defende do caso de doping: 'Ostarina entrou acidentalmente no organismo'

Por meio de nota oficial, Tandara se defende do caso de doping: 'Ostarina entrou acidentalmente no organismo'

A defesa da oposta da Seleção Brasileira de Vôlei ainda destacou que, até o momento, 'sequer foi analisada a contraprova da urina da atleta' 

Lance
Lance

Lance

Lance

Na tarde destas sexta-feira, a oposta Tandara, da Seleção Brasileira de Vôlei, se pronunciou oficialmente à respeito do caso de doping. Por meio de uma nota oficial, afirmou ser inocente e destacou que a Ostarina entrou em seu corpo de maneira acidental.

> Recorde batido! Confira as medalhas do Brasil nos Jogos Olímpicos de Tóquio

VEJA A NOTA OFICIAL PUBLICADA PELA DEFESA DE TANDARA

"Vimos, por meio desta, apresentar a seguinte nota sobre as recentes notícias envolvendo o resultado analítico adverso da atleta da seleção brasileira de voleibol Tandara Alves Caixeta.

Como se pode imaginar, a notificação de um resultado analítico adverso às vésperas de uma semifinal olímpica, ensejando o inesperado e abrupto corte da delegação, configura situação extremamente desgastante e traumática para qualquer atleta.

Poucos sabem, mas anualmente são realizados cerca de 263.300 (duzentos e sessenta e três mil) exames antidopagem no mundo, dos quais apenas 0,97% apresentam resultado analítico adverso, sendo certo que, menos de 0,40% dos casos de doping são de uso internacional de substâncias proibidas.

Recentemente, inúmeros atletas no Brasil foram vítimas de incidentes envolvendo a Ostarina (SARM-22), a ponto de a ANVISA intervir para proibir a comercialização de tal substância em território nacional.

Até o momento, sequer foi analisada a contraprova da urina da atleta (amostra B), portanto, salvo melhor juízo, não se afigura razoável qualquer pré-julgamento de uma atleta íntegra, sem quaisquer antecedentes e que há anos contribui para conquistas do voleibol brasileiro.

Confiamos plenamente que comprovaremos que a substância Ostarina entrou acidentalmente no organismo da atleta e que não foi utilizada para fins de performance esportiva.

Tendo em vista o segredo de justiça imposto ao processo, em respeito à ABCD e ao TJD-AD, por nossa orientação, a atleta Tandara Alves Caixeta não se pronunciará até a decisão final sobre o caso."

RELEMBRE O CASO

O Comitê Olímpico Brasileiro (COB) anunciou a suspensão provisória da atleta de 32 anos, na última quinta-feira, após uma notificação da Autoridade Brasileira de Controle de Dopagem (ABCD). Segundo o comunicado da entidade, a oposta cometeu "potencial violação da regra antidopagem" em exame realizado no dia 7 de julho, no centro de treinamento da CBV.

Últimas