Mauro Beting lembra embaixadinhas de Edilson: 'Dalai Lama bateria nele'

Convidado no 'De casa com o L!', jornalista lembrou polêmica decisão do Campeonato Paulista de 1999, entre Corinthians e Palmeiras, que completa 21 anos neste sábado

Lance

Lance

Lance

Há exatamente 21 anos, em 20 de junho de 1999, o Corinthians conquistava o Campeonato Paulista daquela temporada em uma final mais marcada por não ter terminado. A equipe alvinegra venceu o Palmeiras por 3 a 0 na ida, sete dias antes e, na volta, logo após fazer o gol do empate por 2 a 2, Edilson fez embaixadinhas. A provocação gerou uma pancadaria que o jornalista Mauro Beting lembrou ao participar do "De casa com o LANCE!".

- Essa é a maior porradaria por tudo o que aconteceu. Já tinha tudo premeditado, de cabelos verdes, não dava pra dar certo. O Edílson já tinha premeditado, o Vampeta, já sabiam que ia fazer alguma coisa com a coisa encaminhada - disse o comentarista do Esporte Interativo, lembrando que o Palmeiras, campeão da Libertadores quatro dias antes (eliminando o Corinthians na campanha), entrou em campo com alguns de seus jogadores usando cabelos verdes (veja abaixo a entrevista completa com Mauro Beting).

- Alguns amigos jornalistas dizem: "Que baixaria sair na porrada por causa de embaixadinha". Primeiro, Dalai Lama teria dado uma porrada no Edílson. Segundo, se você analisar as embaixadinhas, ele não consegue fazer, não é habilidade, a bola era pra lateral, era pra encher o saco mesmo. Com o torcedor, o que o Edílson acabou fazendo: não teve volta olímpica. Foram todos expulsos. Foi uma infelicidade dele - completou o jornalista.

Mauro Beting, contudo, ressalta que, mesmo marcante, o Dérbi de 21 anos atrás está longe de ser o mais importante. O jornalista, assumidamente palmeirense, vê maior valor nos títulos paulistas do time do coração sobre o rival nos Paulistas de 1974 (o Corinthians completou 21 anos sem conquistas na época) e de 1993 (quando o Palmeiras encerrou um jejum de quase 17 anos sem títulos) e nas eliminações alvinegras diante do Verdão nas Libertadores de 1999 (quartas de final) e 2000 (semifinais), ambas nos pênaltis.

- O Dérbi das embaixadinhas não é mais importante do que o de 1974, o de 1993 e o dos jogos das Libertadores de 1999 e 2000. O Palmeiras não foi campeão da Libertadores em 2000, mas impediu que o Corinthians chancelasse a conquista do Mundial de 2000 - enfatizou o comentarista.