Tragédia no Flamengo
Futebol Famílias dizem que Flamengo está brincando com vida das vítimas

Famílias dizem que Flamengo está brincando com vida das vítimas

Não houve acerto entre Flamengo e familiares das vítimas do incêndio em 1ª audiência do processo de mediação. Parentes deixaram Tribunal indignados

tragédia flamengo 2019

Famílias das vítimas não concordam com postura do Flamengo

Famílias das vítimas não concordam com postura do Flamengo

Reprodução / Twitter do Flamengo

Horas depois de o desembargador Cesar Cury, presidente do Núcleo Permanente de Métodos Consensuais de Solução de Conflitos, mostrar confiança em uma resolução rápida do processo de mediação entre as famílias da vítima do incêndio do Ninho do Urubu, os familiares deixaram o Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro, nesta quinta-feira (21), indignados e com críticas à postura do Flamengo no encontro.

Veja também: MP-RJ pede imediata interdição do CT do Flamengo e bloqueio de R$ 57,5 milhões

O pai do goleiro Christian Esmério, de 15 anos - um dos mortos no incêndio que atingiu o alojamento das divisões de base no CT George Helal -, desabafou. Disse que não houve adesão ao que foi apresentado pelo clube e fez críticas, afirmando que o Flamengo não "tem respostas para as famílias".

— Eles estão brincando com as vidas dos nossos filhos. Queria saber se eles não foram pais. Não são pais para entender o que estão fazendo com a gente. Para entender a tortura que eles estão fazendo conosco - disse o pai de Christian Esmério, visivelmente emocionado, antes de completar:

Veja também: Flamengo recusa acordo de indenização proposto pela Defensoria Pública

— Não definimos nada. Não teve adesão. Viemos aqui como bobos e palhaços. Estamos desamparados por todos. Não nos sentimos acolhidos por ninguém, principalmente pelo Flamengo. Eles não têm respostas para nós, familiares. Não sabem de nada - criticou.

Curta a página R7 Esportes no Facebook

Sobrevivente do incêndio se espelha em profissionais para seguir no Fla