Futebol Entre provocações a rivais nos pênaltis, Felipe Alves enaltece momento especial no São Paulo

Entre provocações a rivais nos pênaltis, Felipe Alves enaltece momento especial no São Paulo

Contratado 'na urgência', camisa 1 tricolor foi o destaque em disputa com Ceará

Lance
Lance

Lance

Lance

Um dos nomes da classificação do São Paulo para a semifinal da Copa Sul-Americana foi o goleiro Felipe Alves. Na disputa de pênaltis contra o Ceará, o camisa 1 tricolor chamou a atenção pela defesa de uma das cobranças rivais e pelas provocações relatadas por jornalistas cearenses aos jogadores alvinegros, fato que não foi desmentido pelo arqueiro nos vestiários.


GALERIA
+ Confira a avaliação das atuações no duelo entre Ceará e São Paulo pela Sul-Americana pela equipe do LANCE!

- Não falei diretamente com ele, só falei que eu ia ficar parado no meio. Não foi nada pessoal, foi só algo para tirar a concentração dele, acabou funcionando, são coisas do futebol - disse Felipe Alves sobre Vina, meia do Ceará que acabou chutando para fora.

- Independente de ser o primeiro ou o último, quando você pega o primeiro você pega mais confiança em quem vai bater o pênalti depois. É um momento de concentração, saber fazer a leitura correta. Tem jogador que acelera a batida, que é mais calma, você tem quer ter calma, é um momento de intuição, de tentar induzir o adversário, fazer aquilo que você quer - disse o camisa 1 sobre sua postura nos pênaltis.

Alves conhecia bem o rival desta noite. Enfrentou o Ceará por três anos como jogador do Fortaleza. E por conta disso, acha que ajuda na hora da definição.

- Claro que quando você tem o conhecimento ajuda um pouco. Passei três anos aqui jogando contra. Mas ter o conhecimento é uma coisa, ter a calma e a paciência para executar na hora das cobranças é totalmente diferente, porque você treina a semana toda e nem sempre as coisas acontecem no jogo. A cobrança de pênalti passa por isso, você conhece o batedor, analisa, é indução, jogo de leitura...

Teria sido o momento de consagração de Felipe Alves? O jogador chegou ' em cima da hora' ao Morumbi, após a contusão de Jandrei e a perda de confiança em Thiago Couto, dos juniores. Era reserva do Juventude, lanterna do Campeonato Brasileiro, e tinha atuado em pouco mais de cinco partidas em toda a temporada. Ciente das incertezas, o camisa 1 enalteceu o seu momento no Tricolor.

- Eu acho que tudo na vida é um desafio. Não se pode andar para trás, por mais difícil que seja, tem que encarar. E eu sou um cara que por onde passei sempre me identifiquei muito (com a torcida), me entreguei muito ao clube que eu defendo. Não tenho problema de relação com ninguém, me entrego de corpo e alma. Futebol é o que sustenta minha família e eu dou o maior valor a isso. Sou um cara que trabalho, procuro evoluir... Sou muito grato. Quando você faz isso, as coisas acabam acontecendo para você. Estou vivendo um momento muito feliz. Quando cheguei parecia que fazia parte há muito tempo do São Paulo. Fui muito bem abraçado. E espero poder continuar contribuindo, fazendo o meu melhor. Não tem outro caminho, tem que martelar em cima disso o tempo todo que as coisas acabam acontecendo.

TABELA
> Confira classificação, jogos e simule resultados do Brasileirão-22
> Confira todos os jogos da Copa do Brasil-22
> Confira todos os jogos da Copa Sul-Americana-22
> Conheça o novo aplicativo de resultados do LANCE!

Últimas