Entre os 500 melhores do mundo: o que Daniel Alves já fez no São Paulo

Craque foi um dos jogadores que estampou a capa de revista inglesa com os melhores do planeta; confira números e feitos do camisa 10 desde sua chegada no Tricolor

Lance

Lance

Lance

Daniel Alves está há pouco mais de um ano no São Paulo (foi anunciado oficialmente no dia 1º de agosto de 2019) e, aos 37 anos, ainda merece destaque pelo que apresenta em campo. Na última semana, ele não só apareceu como os 500 melhores jogadores do mundo da revista inglesa World Soccer, como também esteve estampado na capa da publicação.

Ele e Gabriel Barbosa, do Flamengo, foram os únicos brasileiros escolhidos como destaque na capa, ao lado de nomes como Cristiano Ronaldo, Messi, Lewandowski, Mbappé e Haaland. Nem sequer Neymar estava na dianteira (apesar de aparecer do lado de dentro da revista). Gabigol venceu Campeonato Brasileiro, Libertadores, Recopa, Supercopa e Carioca com o Rubro-Negro (em 2019 e 2020), mas e Dani Alves pelo Tricolor?

Ele pode não ter levantado canecos, mas seus números mostram que ele pode continuar ajudando seu clube do coração. Sua estreia aconteceu no dia 18 de agosto de 2019, contra o Ceará, no Morumbi, quando ele foi o responsável pelo gol na vitória por 1 a 0. De lá para cá, foram 33 jogos disputados, sendo 20 pelo Brasileirão do ano passado, 11 pelo Campeonato Paulista deste ano e dois pela Libertadores também deste ano.

Em relação aos gols, foram dois marcados no ano passado e cinco já marcados neste ano (quatro no estadual e um no torneio continental). Ele é, atrás apenas de Pablo, o artilheiro do Tricolor no ano, com cinco tentos marcados – o atacante possui seis na conta. Daniel Alves está à frente de Alexandre Pato, por exemplo, que possui quatro. O camisa 10 também soma uma assistência no Paulista, tem participação ativa nas jogadas (dificilmente um gol não passou, antes, pelos seus pés) e ele tem uma média de 2.9 desarmes por partida, segundo o SofaScore.

Mesmo assim, o São Paulo foi eliminado nas quartas de final do estadual pelo Mirassol, após perder por 3 a 2 em pleno Morumbi. Porém, Daniel Alves foi o representante da equipe na Seleção do torneio, divulgada na última segunda-feira. Seus companheiros de setor foram João Paulo, da Ponte Preta, e Patrick de Paula, do Palmeiras, também eleito a revelação.

O time ainda não estreou no Campeonato Brasileiro por conta do coronavírus – nove jogadores do Goiás, adversário do São Paulo no último domingo testaram positivo e a partida foi adiada. Aí está um dos trunfos de Daniel Alves também: a liderança fora de campo e seu posicionamento, seja nas entrevistas ou em postagens nas redes sociais - ele criticou aqueles que não estariam seguindo os protocolos de segurança e cobrou demais entidades. Outro trunfo dele é, claro, o coração: ele já disse que, no Brasil, só joga pelo São Paulo. Aos 37 anos, quem sabe ele não encerra a carreira no clube onde sempre quis atuar.