Diniz rasga elogios a Ceni e minimiza falhas de Antony: 'Potencial gigante'

Técnico elogiou ídolo são-paulino e atual treinador do Fortaleza. Quando questionado sobre título, admitiu dificuldades e afirmou pensar jogo a jogo

Fernando Diniz fez questão de parabenizar Rogério Ceni após homenagem

Fernando Diniz fez questão de parabenizar Rogério Ceni após homenagem

Lance

Neste sábado, o São Paulo venceu o Fortaleza, por 2 a 1, no Pacaembu. Essa foi a primeira vitória do técnico Fernando Diniz no comando da equipe. Após a partida, ele elogiou bastante Rogério Ceni, treinador da equipe cearense e um dos maiores ídolos da história são-paulina.

"Até eu ovaciono o Rogério Ceni, um dos maiores jogadores da nossa história do São Paulo, do futebol brasileiro e do futebol mundial. Tem de ser sempre ovacionado, ainda mais aqui, que é a casa dele. Fico contente que isso tenha acontecido. O Rogério está construindo uma grande carreira como técnico também. Vai ser difícil ser tão bom (como treinador) como foi como jogador, porque ele foi o mito."

Diniz comemorou as atuações dos jovens da equipe, com destaque para Igor Gomes, que saiu do banco e marcou o segundo gol do time, e reiterou a sua atenção com os meninos da base.

"Vocês sabem que gosto de trabalhar com jovens, vou ter sempre um olhar para eles. Jovem é só oferecer condições. Igor está treinando bem, me passava confiança, não foi casualidade", comentou.

Além de Igor Gomes, Antony também mereceu destaque do treinador. O atacante teve boa atuação, contribuindo com uma assistência, mas perdeu duas ótimas chances de marcar.

"Só perde o gol quem está lá. Ele continuou insistindo. Não saiu, estava cansado, é o jogador com mais individualidade do nosso time. Foi muito importante para conseguir a vitória, foi importante no Maracanã. É um talento muito grande. Às vezes é mais cobrado porque se espera muito dele. E tem de esperar mesmo. É um jogador com potencial gigante. O Antony foi fundamental."

A vitória deixou o São Paulo dez pontos atrás do líder Flamengo, que joga neste domingo contra a Chapecoense, em Santa Catarina. Fernando Diniz não jogou a toalha para a briga pelo título, mas reconheceu que o objetivo é muito difícil e que prefere pensar jogo a jogo.

"O São Paulo tem de pensar em coisas grandes. Para mim o objetivo é difícil falar pela distancia do líder. A gente tem foco na Libertadores e ir jogo a jogo. São Paulo sempre tem de sonhar em ser campeão. Um clube do tamanho do São Paulo tem obrigação de sonhar, querer e trabalhar para ser campeão. Hoje está difícil, o que eu faço é preocupar com o próximo treino e próximo jogo. Entregar tudo. A consequência disso vamos ter o ganho que a gente merece."

Com 39 pontos e na zona de classificação para a Libertadores, o São Paulo se prepara agora para encarar o Bahia, em Salvador, na próxima quarta-feira.

Gol de Neymar, Liverpool 100% e zebras: o melhor do futebol europeu