Futebol Diniz critica árbitro e cutuca CBF: 'Não adianta depois avisar erro'

Diniz critica árbitro e cutuca CBF: 'Não adianta depois avisar erro'

Técnico do São Paulo lamentou o desempenho de Rodolpho Toski Marques e lembrou o fato de Leonardo Gaciba ter admitido erro do VAR contra o time

Lance
Fernando Diniz acredita que o São Paulo foi prejudicado contra o Fortaleza

Fernando Diniz acredita que o São Paulo foi prejudicado contra o Fortaleza

Lance

A atuação do árbitro Rodolpho Toski Marques no duelo entre Fortaleza e São Paulo não agradou ao técnico Fernando Diniz. Na visão do comandante do Tricolor, o juiz paranaense foi confuso, demorou para tomar as decisões amparado pelo VAR e errou nos acréscimos do segundo tempo da partida, que acabou empatada em 3 a 3.

Especificamente no segundo tempo da partida, Rodolpho Toski Marques expulsou Felipe Alves e Romarinho, do Fortaleza, e também expulsou o próprio Fernando Diniz por reclamação. O período ainda teve dois gols anotados e duas chamadas do VAR - somente o lance que originou o cartão vermelho para Felipe Alves ficou paralisado por quase dez minutos. Ao fim do tempo regulamentar, o árbitro deu nove minutos de acréscimo.

"Achei a arbitragem muito confusa. Hoje, o árbitro adotou um critério de marcar muita falta e depois ele foi mudando. O lance do Felipe Alves era um lance muito claro e não precisava do VAR. Ele demorou quase onze minutos. O acréscimo jamais poderia ter sido nove minutos. Tinha que ser no mínimo onze mais dois, três ou quatro. Essa foi a minha reclamação. O Fortaleza começou a retardar, eu reclamei do tempo, ele disse que fui insistente e me expulsou", explicou Fernando Diniz.

Apesar da contestação ao trabalho do trio de arbitragem e também do uso da tecnologia do VAR, o técnico do São Paulo elogiou sua equipe e também o trabalho feito pelo Fortaleza de Rogério Ceni. Na visão de Diniz, o Tricolor poderia ter ido melhor e evitado alguns pontos fortes do adversário, mas sofreu com a decisões da arbitragem.

"Era um jogo com clareza de ideias. Treinamos bastante as bolas paradas e não poderíamos ter falhado. O contra-ataque também. Tivemos chances de fazer a falta e o chute do Tinga foi muito bem dado. Quando o Fortaleza joga com essa postura, é difícil jogar. Conseguimos fazer dois gols de jogada construída. Poderíamos ter jogado melhor e poderíamos ter evitado os contra-ataques. No segundo tempo, depois da expulsão, o time criou bastante chance. Na minha opinião foi pênalti, o VAR chamou porque teve um motivo para chamar. Não adianta depois de dois meses avisar que errou no VAR", concluiu Diniz, em referência ao fato de Leonardo Gaciba, chefe de arbitragem da CBF, ter admitido que o VAR foi utilizado de maneira errada ao anular um gol do São Paulo contra o Atlético-MG, algumas rodadas atrás.

A equipe volta a atuar no próximo sábado, às 21h, para encarar o Grêmio no Morumbi. A partida é válida pela 17ª rodada do Campeonato Brasileiro. O jogo de volta contra o Fortaleza, pelas oitavas de final da Copa do Brasil, acontece apenas no dia 25 de outubro.

Em menos de 24 horas, Weverton leva 5 gols. Em dois países diferentes

Últimas