Futebol Desempenhos recentes do Botafogo apontam os desafios que Enderson Moreira terá pela frente

Desempenhos recentes do Botafogo apontam os desafios que Enderson Moreira terá pela frente

Sem técnico nos últimos dois jogos, o Alvinegro ainda mostra inconsistência para jogar por mais de 45 minutos, pouca criatividade e problemas para corrigir no sistema defensivo 

Lance
Lance

Lance

Lance

O trabalho de Enderson Moreira no Botafogo já começou. Na última quarta-feira, o novo treinador comandou o primeiro e foi apresentado pelo clube. Agora, caberá a ele a missão de levar o time de General Severiano para a elite do futebol brasileiro. Para isso, Enderson precisará corrigir uma série de problemas que foram apresentados pelo Alvinegro nos últimos jogos.

> ATUAÇÕES: Gilvan recebe a pior nota do Botafogo na derrota para o Goiás

Inicialmente, um dos que chamou a atenção na partida contra o Brusque, no último sábado - e que já vinha acontecendo há um tempo -, é a incapacidade do Botafogo de se manter constante dentro do jogo por mais de 45 minutos. O Alvinegro Carioca já se mostrou superior ao adversário dentro de campo, mas, depois do intervalo, o nível de produção cai, e os três pontos acabam sendo deixados pelo caminho.

> Confira e simule a tabela da Série B do Brasileirão

Outro ponto que ajuda explicar a fase do Botafogo é a grande dificuldade do time de capitalizar em chances claras de gol. Isso, inclusive, aconteceu nos dois últimos jogos do Alvinegro. Quando o time carioca ainda estava na frente do placar contra o Brusque, Rafael Moura desperdiçou uma oportunidade em que estava sem marcação e dentro da pequena área. Contra o Goiás, foi Pedro Castro, que não aproveitou um lance cara a cara com o goleiro Tadeu.

Esses dois lances exemplificam bem o momento ruim do Botafogo. Com Rafael Moura, o Glorioso ainda estava em vantagem no placar, enquanto com Pedro Castro, o jogo estava empatado. Dessa forma, em caso de gol em ambos os lances, as histórias das respectivas partidas poderiam ter sido diferentes.

O setor criativo do Botafogo também precisa ser corrigido por Enderson. Diante do Goiás, fora a chance desperdiçada por Pedro Castro, o Alvinegro não fez o goleiro Tadeu trabalhar. Além disso, era sempre preciso contar com o talento individual de Chay, que ficou muito sobrecarregado no confronto, para que alguma jogada pudesse ser criada.

O sistema defensivo também mostra que precisa de refino. No começo da temporada, a defesa dava indícios de que seria o ponto forte do Botafogo. Teve a melhor do Campeonato Carioca, e o time não foi vazado nos quatro primeiros jogos que disputou. No entanto, agora, o Alvinegro já tem a terceira pior defesa da competição, com 18 gols sofridos - perde apenas para Confiança (19) e Cruzeiro (23).

Isso não é por acaso - e os últimos dois jogos mostram bem isso. Dos quatro gols sofridos nestes últimos compromissos, dois foram de bola parada, o que é já é um problema recorrente. Os outros dois foram por falhas individuais: Rafael Carioca deixou um corredor no lado esquerdo para Edu invadir a área e virar o jogo para o Brusque, no último sábado, e Alef Manga passou como quis por Gilvan para ampliar a vantagem do Esmeraldino, no último sábado.

> Conheça o aplicativo de resultados do LANCE!

Com muitos problemas e pouco tempo, o Botafogo de Enderson Moreira volta a campo no próximo sábado, às 16h30, no Batistão, contra o Confiança. Na coletiva de apresentação, o treinador já projetou o confronto e mostrou que sabe da dimensão do desafio que terá à frente do Alvinegro Carioca.

- Sei bem do tamanho do desafio que tenho pela frente, já se passaram algumas rodadas, mas venho pra cá com muita confiança e que eu posso contribuir com os atletas e fazer com que o final desse campeonato seja diferente. Eu falo com o atleta que não importa como começa, e sim como termina - disse Enderson, que ainda concluiu.

- Que a gente não possa entregar apenas o retorno à Série A, mas retornar de uma forma mais consistente, com um pensamento diferente. Temos que pensar no Confiança e trazer os três pontos contra uma equipe que sempre foi difícil de jogar contra - finalizou.

Últimas