Futebol Com números expressivos, Rafinha chega como referência ao Flamengo

Com números expressivos, Rafinha chega como referência ao Flamengo

Novo lateral rubro-negro é melhor nas estatísticas em quase todos os atributos se comparado com os principais jogadores da sua posição no Brasil

Flamengo, Rafinha

Torcida rubro-negra recepcionou Rafinha com festa no Aeroporto Santos Dumont

Torcida rubro-negra recepcionou Rafinha com festa no Aeroporto Santos Dumont

Marcelo Cortes/Flamengo

O significativo grupo de torcedores que foi até o Aeroporto Santos Dumont presenciar o desembarque do novo jogador do Flamengo deixa clara a expectativa da torcida acerca da contratação. Marcio Rafael Ferreira de Souza, o popular Rafinha, foi recebido aos gritos de "melhor lateral do Brasil!", "vai bancar o Pará", "Rafinha vem aí e o bicho vai pegar!" e até uma roda de pagode. Ele retribuiu balançando a camisa 13 que vai vestir no clube e reafirmando a satisfação e o sonho realizado de atuar pelo Rubro-Negro.

Veja mais: Equador e Japão empatam, e Brasil pega Paraguai na próxima fase

Aos 33 anos de idade, Rafinha não vai adicionar somente qualidade a um elenco recheado de jogadores de alto nível.

Também chega com jogos decisivos em âmbito doméstico e internacional na bagagem e muitos troféus levantados ano após ano pelos clubes que passou. Só do Campeonato Alemão foram sete consecutivos.

A este currículo que naturalmente já seria digno de aplausos, adicionam-se mais quatro Copas da Alemanha e quatro Supercopas. Além disso, há também os dois principais títulos de sua carreira: a Liga dos Campeões da Uefa e o Mundial de Clubes da Fifa, ambos em 2013.

No Flamengo, o natural de Londrina vai encontrar um cenário no qual a lateral direita é considerada o calcanhar de Aquiles do time. Desde a saída de Léo Moura, o Rubro-Negro não tem uma peça de confiança e consistência no setor. Dessa forma, com números são expressivos, Rafinha chega para resolver dois problemas de uma só vez.

No comparativo com Fagner, do Corinthians, e Marcos Rocha, do Palmeiras, dois dos melhores laterais do país, Rafinha leva vantagem, em média, nas ações por jogo (96,4), eficiência nas jogadas (81,8%), passes distribuídos (78,1%), eficiência nos passes (92,8%) e assistência por jogo (0,09). A tabela mais detalhada está abaixo. Ele só perde em números de finalizações corretas e cruzamentos.

Veja mais: Gabriel Jesus conquista Tite e volta a ser titular mesmo sem fazer gols

Em sua temporada de despedida do Bayern de Munique, Rafinha fez 26 jogos entre agosto de 2018 e maio de 2019, sendo 16 como titular. O mais interessante é a polivalência do jogador. Em seis dessas partidas, o camisa 13 atuou na lateral esquerda. A diretoria agora aguarda para poder inscrevê-lo no BID para poder estrear logo na volta da Copa América, no jogo de ida das quartas de final da Copa do Brasil, contra o Athletico-PR.

O MAIS IMPORTANTE JOGADOR DO BAYERN DE MUNIQUE DE JOSEP GUARDIOLA

A prova da importância de Rafinha pode ser constatada na biografia "Guardiola Confidencial", escrita pelo jornalista espanhol Martí Perarnau. Perarnau é amigo íntimo de Josep Guardiola, multi-campeão técnico do Manchester City, e o acompanhou durante toda sua passagem pelo Bayern de Munique. O livro, que tem a chancela de Pep, dedica um capítulo inteiro ao novo lateral-direito do Flamengo.

Veja mais: A Seleção inocentou Neymar. Ninguém acredita em Najila

No "momento 32", intitulado "Rafinha, o mais importante", o profissional explica como e o que Guardiola fez para elevar o nível do seu Bayern: adiantar o posicionamento de Phillip Lahm para o meio-campo e colocar Rafinha como titular na lateral direita. O espanhol enxergava no brasileiro uma espécie de "construtor", mesmo atuando numa faixa mais defensiva. Assim, o Bayern pôde usar e abusar do "tiki-taka", o estilo de jogo de passes curtos e manutenção da posse de bola que o comandante catalão gosta.

- No corredor para os vestiários da Allianz Arena, falamos com Rafinha, o lateral brasileiro que, com o posicionamento de Lahm como volante, havia se transformado em titular indiscutível da equipe. Um membro da comissão técnica disse: "Rafinha é atualmente o jogador mais importante do time. Se ele se machucar, nossa invenção fica comprometida. Era isso mesmo: sua presença permitia que Lahm continuasse como volante, o que era vital para a equipe - conta Martí Perarnau em uma passagem de "Guardiola Confidencial".

Os números de Rafinha, Fagner e Marcos Rocha

A tabela mais detalhada dos números dos três principais laterais do Brasil

A tabela mais detalhada dos números dos três principais laterais do Brasil

Victor Mendes e Marina Cardoso/Lance!

Curta a página do R7 Esportes no Facebook

Tempo de férias! Veja o destino de boleiros na parada da Copa América