Futebol Calleri comenta situação financeira do São Paulo: 'Que me paguem quando têm que pagar'

Calleri comenta situação financeira do São Paulo: 'Que me paguem quando têm que pagar'

Atacante disse que não está preocupado com o dinheiro, pois voltou ao São Paulo para jogar futebol e ficar feliz, mas expressou que espera que o clube pague em dia

Lance
Lance

Lance

Lance

O São Paulo apresentou o seu novo reforço para a temporada, Jonathan Calleri, nesta quarta-feira (8). Após ser apresentado, o atacante respondeu perguntas dos jornalistas durante a entrevista coletiva. O argentino foi questionado sobre a situação financeira da equipe e, embora tenha dito que não pensa nisso, foi enfático ao afirmar que espera o cumprimento de seu acordo com o clube.


CONFIRA A TABELA ATUALIZADA E SIMULE OS JOGOS DO BRASILEIRÃO DE 2021!

Calleri foi questionado sobre a situação financeira do São Paulo, que possui uma dívida alta e, atualmente, preza pela responsabilidade financeira nas suas contratações, não podendo gastar mais do que deve para evitar abrir um rombo em seu orçamento.

O argentino disse que seu foco é o futebol e que a questão salarial não é o motivo pelo qual ele está no Tricolor, mas deixou claro que espera que o clube pague em dia.

– O dinheiro hoje é secundário, eu venho aqui jogar e ficar feliz. É o que mais quero, voltar a jogar e me sentir um jogador importante. Isso de contrato não depende de mim, tem que perguntar para os dirigentes, e que me paguem quando têm que pagar. É um contrato firmado, bastante aceitável, e vou jogar para demonstrar para todos que posso ser outra vez o jogador que já fui - afirmou o atacante.

O São Paulo enfrenta, recentemente, uma questão delicada em relação aos pagamentos a um atleta. O time deve uma quantia de mais de R$ 11 milhões ao lateral Daniel Alves por direitos de imagem. O diretor de futebol, Carlos Belmonte, reconheceu o débito, mas deixou claro que valores da CLT estão em dia. A situação gerou muita polêmica no último mês.

Além disso, o time teve, em 2020, um déficit de R$ 129,6 milhões, deixado pela diretoria anterior, e acumulou dívida de R$ 606 milhões.

Últimas