Novo Coronavírus

Futebol Calendário cheio faz times grandes apostarem na base nos Estaduais

Calendário cheio faz times grandes apostarem na base nos Estaduais

Sem período de preparação ou folga por conta da pandemia, Internacional e Flamengo deram descanso aos elencos principais

Lance
Com calendário apertado, clubes da Série A aproveitam a base nos Estaduais

Com calendário apertado, clubes da Série A aproveitam a base nos Estaduais

Lance

No início dos estaduais, os clubes da elite do futebol brasileiro estão utilizando muitos de seus jogadores promovidos das categorias de base. Com o calendário apertado e ausência de pré-temporada, os pratas da casa se tornaram uma válvula de escape física e financeira para o planejamento das entidades em 2021.

A pandemia causada pela Covid-19 afetou o orçamento dos clubes da Série A. Toda montagem de elenco, em meio a uma temporada estendida, vem sendo um desafio para todos. Nesse cenário, os estaduais passaram a servir de teste para os atletas de categorias de base com a comissão técnica do time principal, se tornando o caminho mais escolhido e viável.

O gerente de futebol do Bahia, Júnior Chávare, acredita que o contexto atual é propício para os clubes ampliarem o aproveitamento dos jovens talentos.

- Não houve pré-temporada neste ano, então você dá a possibilidade que esses atletas tenham tempo com a equipe principal e possam ser melhor observados - explica.

No futebol, Chávare tem experiência com trabalhos voltados à captação e formação de atletas ao profissional. Em fevereiro, deixou a coordenação das categorias de base do Atlético Mineiro, depois de dois anos de serviços prestados, e se despediu após levantar a inédita taça de campeão Brasileiro Sub-20.

Hoje o Galo já colhe alguns bons frutos desse trabalho. Neste início de Mineiro, a média de idade do time é de apenas 24,2 anos. E a campanha até agora é positiva, com quatro vitórias em quatro jogos. O meia Calebe, 20 anos, e o atacante Savinho, 16, são alguns dos destaques da equipe.

O dirigente acredita que o Estadual seja o momento de lançar atletas. Em 2021, mais ainda.

- O estadual sempre é uma oportunidade importante para dar rodagem aos jovens e, em meio a pandemia, mais ainda - disse.

- Você tem um calendário apertado, desgaste e precisa completar ou montar elenco em uma sequência pesada de jogos. A base sempre será alternativa para os times que pensam de modo profissional. Em 2021, mais do que necessário, se mostrou imprescindível, juntando a possibilidade com a necessidade - completou Chávare.

Como alinhar o uso da base com a pressão pelos resultados?

A pressão pelo resultado está dentro da cultura do futebol brasileiro. Independente do planejamento para a temporada, os membros da comissão técnica e jogadores sempre serão cobrados pelas vitórias e títulos. E de que maneira isso pode impactar os jovens jogadores que estão ingressando ao profissional?

Para Marcelo Segurado, diretor executivo de futebol, os jogadores mais experientes são fundamentais para não deixar com que a cobrança caia sobre os ombros dos mais novos.

- É importante ter uma mescla. Usar a base é sempre uma alternativa, mas, é necessário planejamento. Cada garoto tem seu momento de maturação e existe uma grande diferença entre ser preparado para a promoção e ser jogado em uma fogueira por falta de opções - argumenta.

Segurado cita o Athletico-PR como um exemplo positivo no aspecto de aproveitar o estadual para dar visibilidade aos jogadores formados em sua base.

- O ideal é lançar os garotos de forma planejada, independentemente da competição. No Atlético-PR, por exemplo, isso faz parte do processo de maturação dos jogadores no clube - disse, elogiando o processo executado pelo Furação nos elencos para o Paranaense.

Além do Athletico, citado pelo diretor executivo, o Santos é outro caso emblemático no futebol brasileiro no aspecto de lançar os garotos ao profissional. Em 2021, 80% dos jogadores que entraram em campo eram “Meninos da Vila”, como ficam conhecidos os atletas provindos da base do alvinegro praiano.

Estadual dentro do planejamento de 2021

Alguns clubes da primeira divisão optaram por dar folga aos elencos principais, mesmo com o início dos Campeonatos Estaduais programados para ter início quatro dias após o término do Campeonato Brasileiro. Flamengo e Internacional foram dois desses times. O Colorado, por sua vez, aproveita o Gauchão para dar rodagem para os atletas da categoria Sub-20.

Nas primeiras três rodadas do estadual, inclusive, a equipe foi comandada interinamente por Fabio Matias, técnico da categoria júnior, que mesclou jovens talentos e os mais experientes. Já o Flamengo, treinado por Maurício Souza, do Sub-20, também tomou a decisão de compor a equipe com boa parte dos jogadores formados no Ninho do Urubu neste início de estadual.

Antes do elenco principal se reapresentar para a temporada de 2021, na última segunda-feira (15), o retrospecto do rubro-negro na competição foi de duas vitórias, contra Nova Iguaçu e Macaé, e uma derrota, contra o Fluminense, no clássico.

Lewandowski disparado: Veja como está a disputa da Chuteira de Ouro

Últimas