Logo R7.com
Logo do PlayPlus
R7 Esporte - Notícias sobre Futebol, Vôlei, Fórmula 1 e mais
Publicidade

ANÁLISE: Trabalho de Odair regride, e Santos chega ao ápice da pobreza tática no ano

Derrota diante do Newell's Old Boys expôs falta de padrão do time e deficiências coletivas

Futebol|Do R7


Lance
Trabalho de Odair no Santos é marcado pela irregularidade (Foto: Raul Baretta / Santos FC)

A derrota do Santos por 2 a 1 para o Newell's Old Boys pela 5ª rodada da fase de grupos da Copa Sul-Americana praticamente eliminou o Alvinegro da competição. Consolidada a queda, será a terceira somente neste primeiro semestre - junto com as eliminações no Paulistão e na Copa do Brasil.

Por trás de resultados tão abaixo do esperado, está o trabalho de Odair Hellmann, que ainda não engrenou na temporada. Ainda que o time tenha dado sinais de evolução em certo momento do ano, especialmente no início do Brasileirão, não houve sequência. Hoje, não é exagero dizer que o trabalho do treinador tenha regredido ao (baixo) nível apresentado no estadual.

+ Confira a tabela completa da Sul-Americana

+ ATUAÇÕES: Defesa abusa dos erros em derrota do Santos para o Newells Old Boys pela Sul-Americana

Publicidade

Alguns aspectos podem ser listados como causadores desta instabilidade do time. As quantidade de mudanças na equipe é uma. Odair já experimentou várias formações táticas, do 4-4-2 em linha até o 3-5-2, passando ainda pelo 4-4-2 com losango no meio-campo e até o 4-2-3-1.

Essas mudanças de sistema resultam em um time que não tem padrões e princípios táticos claros. Você, torcedor santista, consegue definir o 'estilo' de jogo do seu time? O Santos ataca pelo centro ou pelas pontas? Gosta da posse ou busca o contra-ataque? Como inicia e como finaliza suas jogadas? É possível responder a essas perguntas?

Publicidade

+ Perto de decisão na Sul-Americana, diretoria do Santos respalda trabalho de Odair Hellmann

Sem padrões, o time que deveria funcionar de maneira coletiva acaba dependente de individualidades para conquistar resultados. Já foi Lucas Lima, João Paulo, Marcos Leonardo, Dodi, Deivid Washington... praticamente a cada semana um jogador diferente se torna a nova esperança do Santos para um bom rendimento da equipe.

Mas, e quando as individualidades não funcionam, o que sobra? O jogo da Sul-Americana deveria servir como exemplo para reflexão. Hoje, a pobreza tática do time do Santos é evidente, e Odair Hellmann está entre os responsáveis por isso.

Últimas

Utilizamos cookies e tecnologia para aprimorar sua experiência de navegação de acordo com oAviso de Privacidade.