Futebol A saga do Demolidor: Dorival Júnior já ostenta um dos 20 melhores inícios de trabalho de um treinador no São Paulo

A saga do Demolidor: Dorival Júnior já ostenta um dos 20 melhores inícios de trabalho de um treinador no São Paulo

Invencibilidade atual coloca treinador na lista dos maiores aproveitamentos iniciais na história do Tricolor

Lance
Lance

Lance

Lance

Dorival Júnior está literalmente fazendo história no São Paulo nesta segunda passagem pelo clube. A sequência inicial de dez jogos invictos já garantiram ao treinador, mesmo que perca o duelo ante o Goiás, às 21h30 (de Brasília) deste sábado (27), no Morumbi, pelo Campeonato Brasileiro, o posto de um dos técnicos com melhor início de trabalho no Tricolor.

Não é pouca coisa. Primeiro que Dorival é o único deste século a não saber o que é perder nos dez primeiros jogos sentado no banco de reservas.

+ ATUAÇÕES: Tropa do Supermouse! Wellington Rato se destaca com gol de falta e comanda vitória do São Paulo

Além do atual técnico são-paulino, somente outros cinco em toda a história alcançaram o feito: Ramón Platero (1930), Rubens Salles (1931), Eugênio Medgyessy (1932), Alfredo Ramos (1972), Pepe (1986) e Muricy Ramalho (1996).

Destes, somente dois conquistaram títulos oficiais pelo Tricolor: Salles (Paulista) e Pepe (Brasileiro). Isso apesar do recorde ser de Platero, que engatou 18 jogos iniciais sem derrota.

Dorival conquistou nesses dez jogos invictos um aproveitamento de 73,3%. Um dos maiores índices de um técnico são-paulino contando apenas a mesma série inicial de partidas (uma dezena).

O líder nesse quesito também é Pepe. O ex-ponta-esquerda histórico do Santos conseguiu 95% de aproveitamento em seus primeiros dez jogos na campanha do Brasileirão de 1986.

+ Todos os jogos do Brasileirão você encontra no Prime Video. Assine já e acompanhe o seu time do coração!

OS MELHORES TÉCNICOS DO SÃO PAULO APÓS DEZ JOGOS:

Pepe (1986) - 95%*
Eugênio Medgyessy (1932)- 95%
Rubens Salles (1931)- 95%*
Ramón Platero (1930) - 90%
Conrado Ross (1942) - 85%
Cláudio Cardoso (1961) - 85%
Cuca (2004) - 83,3%
Muricy Ramalho (1996) - 83,3%
Oswaldo Brandão (1971) - 80%*
Joreca (1943)- 80%*
Leônidas da Silva (1954) - 80%
Darío Pereyra (1997) - 76,7%
José Poy (1982)- 75%
José Poy (1974) - 75%
Alfredo Ramos (1972) - 75%
Béla Guttman (1957) - 75%*
Armando Renganeschi (1958) - 75%
Muricy Ramalho (1997) - 73,3%
Dorival Júnior (2023) - 73,3%

*técnicos que acabaram campeões

+ Clique aqui e veja como apostar no Brasileirão

+ Confira os jogos e classificação resultados do Brasileirão-23 na tabela do LANCE!

Últimas