Falta de competência circunstancial afetou o Coritiba, avalia Barroca

Treinador entende que volume de jogo ofensivo, caso fosse melhor aproveitado, seria suficiente para time avançar na Copa do Brasil frente ao Manaus

Lance

Lance

Lance

Mediante a diferença de divisões e pretensões para o restante da temporada, o técnico Eduardo Barroca precisou se explicar após a derrota por 1 a 0 do Coritiba frente ao Manaus na última quarta-feira (12) pela Copa do Brasil na Arena da Amazônia.

Segundo a sua avaliação, o time teve volume suficiente para sair de campo com um resultado favorável, porém lhe faltou eficiência no momento das finalizações.

Algo que, mediante o contexto da partida, o faz crer se tratar de problema circunstancial e não necessariamente um sinal que a equipe venha dando em outras oportunidades:

- Acho até que a gente teve algumas oportunidades claras. O Rafinha, no primeiro tempo, teve boas oportunidades. Depois teve a oportunidade do pênalti, teve bola na trave, teve diversos escanteios e faltas laterais. A gente até teve repertório bom. O que a gente não teve foi efetividade para conseguir transformar as oportunidades em gol:

- A gente controlou o jogo muito menos do que vinha controlando. Entendo que o fato de sair atrás do placar, toda a atmosfera do jogo e a responsabilidade de ser um jogo eliminatório, tudo isso tirou a gente de um nível de equilíbrio - adicionou o treinador do Verdão.

Agora com o foco apenas no Campeonato Paranaense, o time do Alto da Glória tenta fazer a sua parte na busca pela liderança visitando o Cascavel CR no domingo (16) às 16h (horário de Brasília).