Tóquio 2020

Esportes Olímpicos Prêmio a brasileiros medalhistas de ouro em Tóquio é maior da história

Prêmio a brasileiros medalhistas de ouro em Tóquio é maior da história

Valor pago pelo COB pode chegar a até R$ 250 mil, mas ainda é inferior em comparação com outros países nos Jogos

Lance
Lance

Lance

Lance

O Comitê Olímpico Brasileiro (COB) prometeu uma bolada para os atletas brasileiros que conquistarem a medalha de ouro na Olimpíada de Tóquio. A premiação para quem assumir o topo do pódio é de R$ 250 mil, maior valor pago pela entidade na história dos Jogos. Em comparação com a última Olimpíada, a quantia é sete vezes maior que a paga no Rio 2016, quando o bônus máximo para o atleta atingia o teto de R$ 35 mil.

Em esportes individuais, a premiação paga para medalhistas de prata será de R$ 150 mil e pelo bronze, R$ 100 mil. Já em modalidades com equipes de até seis atletas, a repartição de valores varia de acordo com a cor da medalha. Para o topo do pódio, a premiação é de R$ 500 mil. Medalhistas de prata e bronze recebem R$ 300 mil e R$ 200 mil, respectivamente. Nos esportes coletivos, os atletas dividirão os seguintes valores: R$ 750 mil (ouro), R$ 450 mil (prata) e R$ 300 mil (bronze).

Diferente do cenário encontrado na Olimpíada do Rio, quando empresas patrocinadoras bancavam as premiações, o COB confirmou que a verba destinada a atletas são advindos de recursos da organização.

Entretanto, em comparativo com outros países, os medalhistas brasileiros recebem valores inferiores aos de europeus. Para italianos que conquistarem o ouro, por exemplo, o atleta receberá € 180 mil (cerca de R$ 1 milhão). Medalhas de prata e bronze são premiadas com € 90 mil (R$ 540 mil) e € 60 mil (R$ 360 mil), respectivamente.

Craque do City pede noiva em casamento com anel de R$ 2,7 mi

Últimas