Lance Caboclo segue em negativa, mas admite 'comportamento inadequado'

Caboclo segue em negativa, mas admite 'comportamento inadequado'

Para presidente afastado da CBF, acusações são usadas de forma política

Lance
Lance

Lance

Lance

O Presidente afastado da CBF, Rogério Caboclo, em entrevista a Revista Veja, admitiu que teve comportamento inadequado no caso que foi denunciado por assédio por uma funcionária da entidade.

+ Veja a tabela do Campeonato Brasileiro

- Posso afirmar categoricamente que nunca cometi nenhum tipo de assédio. Nunca tive a liberdade de tocá-la, de insinuar qualquer coisa. Nunca tive nenhum apreço a não ser o de cunho profissional. Não houve nada parecido além daquele episódio gravado. Se pudesse voltar no tempo, não teria feito o que fiz. Me arrependo profundamente — disse Caboclo à Veja.

Para Caboclo, a situação é usada de forma política. Ele ainda acrescentou que foi mal interpretado, situação que foi sustentada pela sua defesa na Comissão de Ética da CBF.


- É notório que houve edição, a voz dela foi suprimida, e não se percebe a troca entre as pessoas naquela conversa. Mas esse aspecto não é o principal, pouco importa se houve edição. Tínhamos intimidade eu a considerava até como uma confidente. E pessoas com essa intimidade podem ter conversas mais próximas. Mas insisto, fiz comentários infelizes e de mau gosto — e meus adversários usaram isso contra mim, e virou um caso político. Logo em seguida, me fizeram uma proposta financeira que, de fato, eu não podia aceitar - salientou.

Nos últimos tempos aumentaram os debates em torno de uma nova liga formada pelos clubes. Caboclo salientou que defendeu um modelo "moderado".

- Enquanto estive na presidência, não era um tema em voga. Surgiu tão logo aconteceu o meu afastamento. Os clubes e os atletas são a parte essencial do futebol, sem dúvida. É fundamental ouvi-los, mas há modelos de ligas que decolam e modelos que naufragam. O ideal seria um modelo moderado, em que os clubes tenham participação cada vez mais efetiva, mas com gestão da CBF na organização dos campeonatos — concluiu.

Últimas