Lance Bahia ganha do Paraná, quebra jejum e respira mais longe do Z-4

Bahia ganha do Paraná, quebra jejum e respira mais longe do Z-4

Com quase 30 mil pessoas no estádio, jogo com alto nível de tensão estava empatada até Vinícius e encerrar jejum de vitórias do time baiano

Em partida para quase 30 mil pessoas no "Pituaço", o jogo de alto nível de tensão ficou empatado até Vinícius terminar com série de cinco rodadas sem Bahia triunfar no BR-2018

Lance

Lance

Lance

Para se afastar da zona de rebaixamento do Campeonato Brasileiro, o Bahia conseguiu um excelente resultado ao passar por 2 a 0 neste sábado (13) pelo Paraná jogando no estádio de Pituaçu. Muito em função da noite iluminada de Vinícius que, entrando na etapa complementar, fez os dois gols do confronto.

Com o placar em Salvador, o Esquadrão de Aço escalou na tabela até a 12ª colocação agora com 34 pontos. Já o Paraná segue seu calvário e a passos largos para confirmar sua queda matemática a Série B de 2019 com somente 17 unidades, em último lugar, e 14 pontos atrás do primeiro time fora da zona de rebaixamento.

Paraná abriu os trabalhos

O fato do Bahia ter mais iniciativa e posse de bola parecia muito mais pela falta de qualidade do Paraná do que propriamente por mérito da equipe de Salvador. Com esse quadro, os goleiros Richard e Douglas eram praticamente "espectadores privilegiados" que assistiam o jogo nos primeiros 10 minutos de dentro do campo e trabalhando em poucas oportunidades.

Apenas aos 15 minutos que a primeira grande chance de abertura do marcador em Pituaçu surgiu de maneira clara. Em linda troca de passes feita pelo sistema ofensivo paranista, o meio-campista Deivid se viu frente a frente com Douglas, mas bateu em cima do arqueiro baiano e desperdiçou uma ótima oportunidade.

Mergulhou e levou perigo!

Insistindo na infiltração do lateral-esquerdo Léo que frequentemente se via em posição de impedimento, quando o time do Bahia conseguiu acioná-lo em condições de dar segmento ao lance, com 22 minutos, formulou seu primeiro momento mais perigoso.

O lateral emprestado pelo Fluminense cruzou na medida e o jovem Ramires entrou totalmente livre de marcação e cabeceou no contrapé de Richard, mas viu a bola passar muito perto da trave esquerda do goleiro paranaense.

No pé do Zé

Principal figura de criação no meio-campo do Esquadrão, Zé Rafael foi o protagonista de outra boa investida do Bahia no ataque. Ramires se livrou da marcação pelo lado direito e cruzou rasteiro para o chute de primeira do camisa 10 dos anfitriões, vendo a bola passar ao lado da trave esquerda de Richard que apenas "tirou com os olhos".

Foi de Zé Rafael também uma cobrança de falta complicada à favor do time de Salvador onde o arqueiro paranista foi forçado a espalmar para escanteio no fim da primeira etapa e, logo na volta do intervalo, Bruno cruzou para Zé cabecear bem e Richard aparecer novamente para uma grande intervenção.

Subiu a pressão e a torcida veio junto

Em 10 minutos de segundo tempo, o Esquadrão de Aço foi bem mais intenso nas chegadas à frente do que praticamente em toda a etapa inicial. E o bom público no estádio de Pituaçu acompanhou a melhor da equipe, se agitando nas arquibancadas e criando um clima bem favorável para que o Bahia chegasse a abertura do marcador.

Acuado, mas não morto

Tendo menos espaços do que antes quando se aproveitava em muito da desorganização do seu adversário, os visitantes finalmente saíram da "blitz" baiana aos 12 minutos quando Deivid escapou da marcação e tocou para Alex Santana limpar o campo de visão para o chute e bater para boa defesa de Douglas.

Assim fica difícil...

Se era custoso para o Paraná chegar no ataque, quando o fazia a pontaria dos atacantes era um retrato da campanha no Campeonato Brasileiro. Depois de Silvinho conduzir muito bem a bola e cruzar rasteiro para Rafael Grampola fazer o corta-luz, Andrey teve tempo para pensar no chute e pegou muito mal na bola, mandando por cima do gol de Douglas.

Pra sair do sufoco!

Depois de muito insistir e dar a impressão de que teria mais uma noite repleta de vaias e frustrações, entrou em ação a estrela de Vinícius. Com uma bela cobrança de falta, sem chances para Richard, e depois entrando bem na grande área para encher o pé direito e estufar as redes adversárias, o camisa 29 resolveu a partida e trouxe alívio ao público no Pituaçu.

FICHA TÉCNICA

​BAHIA 2 X 0 PARANÁ

Local: Estádio de Pituaçu, Salvador (BA)
​Data-hora: 13/101/2018 - 21 h
​Árbitro: Jean Pierre Goncalves Lima (CBF-RS)
​Assistentes: Leirson Peng Martins e Lucio Beiersdorf Flor (ambos CBF-RS)
Público: 29.328 pessoas
​Cartões amarelos: Zé Rafael (BAH); Juninho, Andrey, Jhony (PAR)
​Cartões vermelhos: -
Gols: Vinícius (39' e 44'/2°T) (2-0)

BAHIA: Douglas; Bruno (Vinícius, aos 23'/2°T), Lucas Fonseca, Douglas Grolli e Léo; Gregore, Flávio, Ramires, Zé Rafael (Edigar Junio, aos 35'/2°T) e Élber (Nilton, aos 46'/2°T); Gilberto. Técnico: Enderson Moreira.

PARANÁ: Richard; Júnior (Jhony, aos 36'/2°T) René Santos, Rayan e Igor; Alex Santana, Leandro Vilela, Deivid (Andrey, aos 23'/2°T) e Juninho; Rafael Grampola e Silvinho (Nadson, aos 31'/2°T). Técnico: Claudinei Oliveira.

    Access log