Lance Austrália flexibiliza regras para testes positivos de COVID

Austrália flexibiliza regras para testes positivos de COVID

Período de isolamento diminui assim como casos de contatos próximos

Lance
Lance

Lance

Lance

Após um duro 2021 com jogadores enclausurados por 14 dias após testes ou contatos próximos positivos, a Austrália flexibilizou as regras de testes positivos para COVID-19 para esta temporada em seus torneios.

Positivo em 26 de dezembro, o canadense Denis Shapovalov já estava em quadra neste domingo jogando duplas pela ATP Cup.

A Austrália está passando por sua maior onda de infecção desde o início da pandemia, com mais de 30.000 casos diários e uma curva ascendente exponencial. Mas duas coisas mudaram desde o Aberto da Austrália em fevereiro de 2021; o abandono da estratégia Covid zero desde setembro, combinado com o lançamento bem-sucedido da vacinação, que também criou um suspense duradouro em torno da presença de Novak Djokovic no Aberto da Austrália de 2022.
A vacinação obrigatória (a menos que especificamente isenta por dois painéis de especialistas médicos) para entrar na Austrália - e em particular no estado de Victoria, onde Melbourne está localizada - levou a protocolos mais flexíveis para jogadores e membros de sua equipe quando eles chegam na Austrália. Isso segundo análise do documento: “Os Novos Protocolos de Teste, Rastreamento e Isolamento”, enviado a eles em 31 de dezembro.

Dividido em três colunas de acordo com a cidade e o estado de chegada - Melbourne (Victoria), Sydney (New South Wales), Adelaide (South Australia) - impõe um regime bastante pragmático aos jogadores com base nos resultados dos testes e não em medidas preventivas com isolamento obrigatório.

Em termos concretos, cada jogador é testado na chegada e se isola enquanto espera o resultado. Apenas um resultado de teste negativo permite que o jogador se mova livremente. Outro teste deve ser realizado entre o quinto e o sétimo dia no local. Depois desse teste, se der negativo, a pessoa fica livre para ir aonde quiser, a menos que aconteça algo novo (sintomas, casos de contato).


Os testes diários são “fortemente encorajados” antes de ir aos locais, mas não são obrigatórios.

O que também chama a atenção no documento é a definição flexível de “caso de contato”. O documento distingue entre “contatos domiciliares” e “contatos não domiciliares”, ou seja, pessoas que compartilham a mesma casa que a pessoa credenciada, e outras pessoas. Apenas o status de contato com um companheiro de casa resulta em sete dias de isolamento com teste no primeiro e no sexto dia.

Em contraste, o status de contato com outra pessoa resulta apenas em um requisito de teste de cinco dias. Em Adelaide, a situação é diferente porque distingue entre contatos "críticos para o evento" e "não críticos". No primeiro caso, o jogador é submetido a uma bolha com testes diários durante seis dias, mas sem isolamento. Sendo um caso de contato, portanto, não conduz à exclusão da competição.


A última noção que ilustra a flexibilidade das práticas em 2022 é a noção de “até que esteja clinicamente liberado”, ou seja, “exceto em caso de luz verde médica”. Em termos concretos, significa que deixa de haver uma duração mínima de isolamento em caso de teste de PCR positivo. Este isolamento durará sete dias “a menos que seja medicamente liberado” devido a um teste negativo e ausência de sintomas. Foi isso que permitiu a Shapovalov retornar tão rapidamente.

Geralmente, as máscaras são necessárias no local e no transporte, exceto quando estiver sentado, comendo, fazendo exercícios ou olhando para a câmera. Sydney impõe a máscara se uma distância de um metro e meio não for possível entre duas pessoas.

Deve-se notar que os jogadores com teste positivo no final da semana em Adelaide terão algumas preocupações na preparação para o Aberto da Austrália, já que no estado prevê 10 dias de isolamento em vez de sete, a menos que o jogador esteja "clinicamente liberado", é claro.

Últimas